Acabou o amor: MPF proíbe uso de slogan “institucional”

Acabou o amor: MPF proíbe uso de slogan “institucional”

O Ministério Público Federal recomendou ao governador Amazonino Mendes a retirada das expressões “amor à causa pública”, “arrumando a casa” ou qualquer outro slogan que possa favorecê-lo junto ao eleitorado.

De acordo com o MPF, a realização de atos que simbolizam o enaltecimento pessoal por parte do agente político é conduta atentatória aos princípios da impessoalidade, da moralidade e da legalidade, suficiente para configurar o ato de improbidade.

O parecer, publicado no dia 12 de março de 2018, determina o prazo de dez dias úteis para o cumprimento das recomendações, além de especificar o período de três meses antes do pleito deste ano, para que Amazonino não autorize e nem permita a veiculação de nenhuma publicidade institucional, qualquer que seja o seu conteúdo, salvo em caso de grave e urgente necessidade, neste caso pleiteando prévia autorização da Justiça Eleitoral para sua divulgação.

Deixe um comentário