Alvo da operação ‘Sangria’ será conselheiro em entrega de Medalha a ministro do STJ

Alvo da operação ‘Sangria’ será conselheiro em entrega de Medalha a ministro do STJ

Alvo da operação ‘Sangria’ será conselheiro em entrega de Medalha a ministro do STJ

O secretário-chefe da Casa Militar, Fabiano Machado Bó, dois dias após ser alvo da terceira fase da Operação Sangria, que investiga suspeita de superfaturamento na compra de respiradores pulmonares pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), antiga Susam, foi escolhido pelo governador Wilson Lima (PSC) para ingressar num grupo de conselheiros que irá homenagear o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Mauro Campbell, com a Medalha de Ordem do Mérito do Estado do Amazonas.

Fabiano Bó participou de um evento na sede do governo do Estado, no último dia (2), onde foi nomeado conselheiro. A solenidade foi divulgada apenas nos stories do  governador sem qualquer outra informação mais aprofundada do evento.

De acordo com a Secretaria de Comunicação (Secom), a solenidade fez parte de evento prévio à concessão da Medalha de Ordem do Mérito do Estado do Amazonas ao ministro Mauro Campbell Marques, marcada para o dia 11 deste mês.

No evento, o governador Wilson Lima, grão mestre da ordem, empossou demais membros da ordem: o secretário-chefe da Casa Civil, chanceler e presidente do Conselho da Ordem, Flávio Antony Filho; o chefe da Casa Militar e conselheiro da Ordem, coronel Fabiano Machado Bó; o secretário de Cultura e Economia Criativa e conselheiro da Ordem, Marco Apolo Muniz; e a chefe do Cerimonial do governo do Estado e secretária da Ordem, Maria Nazaré de Águila.

Homenagem

A Ordem do Mérito do Estado do Amazonas foi instituída através da Lei nº 1.515 de 27 de janeiro de 1982, alterada pela Lei nº 1.522 de 05 de maio de 1982, restaurada pela Lei nº 1.803 de 05 de novembro de 1987, e regulamentada pelo Decreto nº 6.308 de 06 de maio de 1982, com as modificações do Decreto nº 34.242 de 28 de novembro de 2013.

‘Sangria’

No último dia 30, Fabiano Bó foi alvo da terceira fase da Operação Sangria. O Ministério Público Federal (MPF), a Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU), cumpriram diligências em endereços residenciais e profissionais dos envolvidos, inclusive a Secretaria de Estado de Saúde e a Secretaria da Casa Militar do governo do Amazonas.

A ordem para o cumprimento dos mandados foi do ministro Francisco Falcão, relator do caso no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Fonte: Portal O Poder

Deixe um comentário