Arthur ataca Alckmin e defende nomeações de Arthur Bisneto (chefe da Casa Civil) e sua mulher Elisabeth Valeiko (presidente do Fundo Manaus Solidária)

Arthur ataca Alckmin e defende nomeações de Arthur Bisneto (chefe da Casa Civil) e sua mulher Elisabeth Valeiko (presidente do Fundo Manaus Solidária)

“O PSDB sempre foi um partido meio esnobe, meio de nariz empinado”, que “não se comunica com as pessoas mais pobres do país”. O diagnóstico não vem de algum adversário petista, mas de um tucano histórico, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, que acaba de desistir de disputar com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o posto de candidato da legenda à Presidência da República.

Anúncios

Em entrevista à BBC Brasil, Virgílio diz que retirou sua pré-candidatura porque as prévias para definir o candidato do partido caminhavam para um “processo fraudulento”. Para ele, Alckmin não tem “preocupação social” nem “linguagem” para falar com outras regiões do país, por isso não decola nas pesquisas de intenção de voto.

Ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência no governo Fernando Henrique Cardoso e líder do PSDB no Senado durante todo o governo Luiz Inácio Lula da Silva, Virgílio avalia que seu partido vem perdendo sucessivas eleições presidenciais desde 2002 porque fez campanhas “paulistocêntricas”, “como se não houvesse vida inteligente no resto do país”.

“É um partido que se comove pouco com a pobreza, com a miséria. Por isso não se comunica com as pessoas mais pobres do país. Por isso, teve quatro derrotas nas eleições”, atacou.

Na entrevista, Virgílio também defendeu a importância de ser “puro” ao lidar com a coisa pública. Ele não vê problema em empregar na sua administração seu filho Arthur Bisneto (chefe da Casa Civil), nem sua mulher Elisabeth Valeiko (presidente do Fundo Manaus Solidária).

Deixe um comentário