‘Cérebro de Paulo Guedes é obsoleto’, diz Omar Aziz em defesa da Zona Franca

‘Cérebro de Paulo Guedes é obsoleto’, diz Omar Aziz em defesa da Zona Franca

‘Cérebro de Paulo Guedes é obsoleto’, diz Omar Aziz em defesa da Zona Franca

Anúncios

Em pé de guerra com o governo Bolsonaro, o senador Omar Aziz (PSB-AM) disse nesta terça-feira que o cérebro do ministro da Economia, Paulo Guedes, “é obsoleto” e defendeu que o ministro dê explicações no Senado sobre a aplicação de recursos do governo federal.

Desde de que Paulo Guedes fez críticas à Zona Franca de Manaus, o senador amazonense não tem poupado o ministro de Bolsonaro. Chamando Guedes de “outro falastrão”, assim como o presidente Jair Bolsonaro, Aziz afirmou que é “só conversa fiada”.

“O cérebro do Paulo Guedes é obsoleto. Aliás, ele tem que vir aqui e se explicar. Ele precisa aqui dizer cadê o dinheiro para a vacina do ano que vem? Ele tem que vir aqui dizer, desde que ele começou só conversa fiada. O país empobreceu”, afirmou Aziz, na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), destacando que Guedes chamou a Zona Franca de obsoleta.

Na avaliação do senador, o governo deveria mudar a política de dolarização dos combustíveis. A forte alta dos combustíveis é provocada pelo aumento do petróleo no mercado internacional e pela disparada do dólar, fatores levados em conta pela Petrobras para calcular o preço nas refinarias.

“Por que dolariza? Quem está levando são os acionistas, e povo está pagando essa conta — disse, atacando o presidente Bolsonaro que, segundo ele, “não tem respeito pela fome, pela miséria” e nem pela liturgia do cargo.

“Nós temos um presidente que acha bonito ir pra rua falar besteira, por onde passa vai lançando fezes”, declarou.

Aziz chamou Bolsonaro de “abacateiro” e também voltou a comparar o presidente com “macaco guariba”. Recentemente, Bolsonaro intitulou o senador de “anta da Amazônia”.

“É um presidente que perdeu o respeito por si próprio. Eu não vejo Bolsonaro olhar no espelho e ter respeito por ele”, disse Aziz, completando. “Você (Bolsonaro) usa a liturgia do cargo não é para construir, é para destruir. Acabou esse tempo presidente, vá trabalhar”, finalizou o parlamentar.

Deixe um comentário