Você está visualizando atualmente Corregedoria pode investigar policiais em possível armação com traficante para prejudicar candidato ao Governo do Amazonas

Corregedoria pode investigar policiais em possível armação com traficante para prejudicar candidato ao Governo do Amazonas

A Corregedoria da Polícia do Amazonas pode abrir inquérito para investigar a participação de policiais em uma suposta armação com o traficante Diellison Wendel Alves Pinheiro, “o Didi”, um dos chefes do tráfico de drogas em Codajás (distante 297 quilômetros de Manaus).

Didi foi preso juntamente com a a delegada Alessandra de Souza Braga, durante a Operação Navalha, deflagrada nesta sexta-feira (19) na cidade de Codajás – a 240 km de Manaus – que é suspeita de acobertar ações de traficantes de drogas no município.

Mas após a viralização de um vídeo, gravado por policiais, na qual Didi fala que R$ 12 mil reais encontrados na sua posse eram para comprar votos para Wilson Lima, candidato ao Governo do Amazonas, o caso ganhou notoriedade na cena política, nos veículos de comunicação e nas redes sociais.

O secretário de Segurança do Amazonas, Amadeu Soares, afirmou que o inquérito foi encaminhado à Polícia Federal, ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), para o prosseguimento das investigações.

Com indícios que a suposta denuncia do traficante possa ter sido armada para prejudicar a candidatura de Wilson Lima, a oito dias das eleições, fontes do Direto ao Ponto confirmaram que a Corregedoria da Polícia estuda abrir inquerido para investigar os policiais que gravaram o vídeo e para quem eles encaminharam, visando esclarecer as condutas e veracidade do caso.

Wilson Lima, que lidera a corrida eleitoral com mais de 30% das intenções de votos em relação a seu adversário, foi acusado pela coligação “Eu voto no Amazonas” do candidato Amazonino, que entrou com ação neste sábado (20) no TRE-AM com pedido de cassação da candidatura de Wilson Lima por compra de votos.

Resposta

A coligação “Transformação para um Novo Amazonas”, encabeçada pelo candidato ao governo, Wilson Lima (PSC), negou por meio de nota enviada a imprensa neste sábado (20) envolvimento do novato na política com o traficante.

Repercussão

Em uma publicação no facebook o vereador Marcelo Serafim tratou o caso como armação e desespero de Amazonino e seus advogados:

AMAZONINO ADMITE A DERROTA 🚫🚫
🚫🚫BOMBA 💣 BOMBA 💣 BOMBA 💣 🚫🚫
Traficante (gente boa e muito “confiável) preso em Codajas com R$12.000,00 (A maioria dinheiro 💰 trocado claramente de venda de drogas) afirma que o dinheiro foi dado pelo Wilson Lima em um hotel da cidade para comprar votos 🗳
Esse fato merece algumas observações:
1. Se for preso por tráfico fica uns 10 anos na cadeia, compra de votos não fica uma semana, logo fica claro o porquê da declaração.
2. Wilson Lima nunca foi em Codajas, mas o traficante informa que foi procurado por ele e que conversaram em um hotel 🏨 da cidade. É mole?
3. Ahhh e as armas pegas com o gente boa, para que eram? Para caçar Pato 🦆 do Mato…
Amazonino não perdeu apenas a eleição, ele e seu grupo político perderam a vergonha na cara e estão repetindo as mesmas cenas de desespero que já cometeram no passado. Quando enxergam a derrota, fazem armações, inventam mentiras, jogam baixo na tentativa desesperada de reverter um quadro consolidado. O NOVO VENCERÁ! WILSON É O NOVO E O NOVO NÃO VAI SE REBAIXAR AO DESESPERO 😩DE QUEM NÃO ENTENDEU O NOVO MOMENTO QUE O BRASIL ESTÁ VIVENDO.
Vote 20! Livre o Amazonas desse câncer e faça a sua parte nessa história.
#Compartilhem

 

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio divulgou um áudio tratando o caso como uma suposta fraude promovida por Amazonino visando se reeleger. “Uma total falta de desrespeito com o eleitor e seus adversários”. Confira:

 

 

Deixe um comentário