Deputada Bia Kicis diz que voto impresso é ‘pacificação’, durante evento em Manaus

Deputada Bia Kicis diz que voto impresso é ‘pacificação’, durante evento em Manaus

Deputada Bia Kicis diz que voto impresso é ‘pacificação’, durante evento em Manaus

Anúncios

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) defendeu nesta quinta-feira, 29, em Manaus, o voto impresso e assinou a carta de intenções do 2° Fórum Social da Torá Judaico Cristão, que entre os onze pontos do fórum está a defesa do “voto auditável”.

Kicis é autora da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso que por conta de uma manobra governista não foi derrubada antes do recesso parlamentar na comissão especial.

Em entrevista ao A Crítica, a deputada afirmou que a pauta do voto impresso é essencial para pacificação do país. Questionada se a PEC será aprovada mesmo com um acordo de 11 partidos contra o dispositivo, a deputada disse:

“Esperamos que sim, mas a gente sabe que o parlamentar é um representante do povo, então nada mais do que povo na rua cobrando (o voto impresso) dos seus representantes. Isso é fundamental”, disse.

A PEC da deputada está prevista para ser votada na próxima semana com a retomada dos trabalhos legislativos e deve ser derrotada na comissão especial da Câmara dos Deputados.

Durante a fala no fórum, Bia comentou sobre a foto com a deputada alemã Beatrix Von Storch do Alternativa pela Alemanha, partido tido como neonazista no país.

“As pessoas são maldosas. Houve um encontro com uma deputada conservadora do Brasil e com uma deputada conservadora da Alemanha. Aí um blogueiro soltou essa estória só porque o avô dela foi sim ministro do Hitler, mas ele já era ministro antes do Hitler e continuou depois”, justificou

Um dos convidados do 2° Fórum Social da Torá Judaico Cristão, realizado na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) seccional Amazonas, o desembargador Yedo Simões disse que assinou o manifesto do fórum pelo voto impresso.

Segundo Simões, a população duvida da urna eletrônica e que ela precisa de uma resposta. Perguntado se o momento atual seria o ideal para essa discussão, o magistrado declarou que não entra no mérito da polarização política.

“Sou um ferrenho defensor da urna eletrônica, mas o momento é outro, a sociedade duvida da urna e precisa de uma resposta. Não entro nessa questão ( da polarização). O voto impresso dá mais transparência e isso pacifica e as pessoas terão a confiança que o voto não será fraudado”, destaca Yedo que palestrou sobre equilíbrio social no evento.

A pauta do voto impresso tem sido tornado a principal bandeira do presidente Bolsonaro desde que começou a despencar na intenções de votos para as eleições de 2022. Com a liderança do ex-presidente Lula, Bolsonaro tem sugerido fraude no sistema de apuração eletrônica, afirmando inclusive que ganhou no primeiro turno das eleições de 2018 e que o ex-presidenciável tucano Aécio Neves foi alvo de fraude nas eleições de 2014.

Fórum

Na segunda edição, o Fórum Social da Torá Judaico Cristão tem como tema a pacificação social. O presidente do fórum rabino Ícaro Moreno disse que a intenção do evento é discutir a temática da justiça social e econômica.

O rabino explicou que a deputada Bia Kicis foi convidada pelo fato de presidir a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ).

“Ela foi uma das primeiras a assinar a nossa carta do fórum social da torá e estamos falando nessa carta sobre a acessibilidade à justiça, que é fundamental. Também a nossa preocupação referente a miséria porque com miséria não tem pacificação social e não diminui a violência no Brasil”, registrou.

A programação do fórum social da torá encerra nesta sexta-feira, 30. A programação segue com debates e palestras até o meio dia.

Deixe um comentário