You are currently viewing Deputados Alberto Neto e Pablo Oliva comentam a condenação de Daniel Silveira pelo STF

Deputados Alberto Neto e Pablo Oliva comentam a condenação de Daniel Silveira pelo STF

Deputados Alberto Neto e Pablo Oliva comentam a condenação de Daniel Silveira pelo STF

O Superior Tribunal Federal (STF) condenou ontem (20), o deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) a oito anos e nove meses de prisão e à perda do mandato, após ele ter sido acusado de estimular atos antidemocráticos e atacar instituições como o próprio Supremo.

Anúncios

Nas redes sociais, parlamentares do Amazonas comentaram a decisão do STF. O deputado federal Capitão Alberto Neto (PL) classificou a condenação como “afronta à democracia do País”.

“Daniel Silveira foi condenado por 8 anos de prisão pelo STF pelo tipo penal desconhecido chamado atos antidemocráticos. Eu não vi o Daniel Silveira sequestrando, matando, roubando. Ele não invadiu o STF. O que Daniel fez contra a democracia do nosso País? Agora o STF envergonha o Brasil. O STF ataca a democracia brasileira prendendo um deputado federal. É um absurdo isso”, afirmou.

O parlamentar ainda afirmou que Daniel Silveira deveria ser julgado pelos seus atos pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados.

“Nós, seus pares, como está previsto na Constituição, teríamos que julgá-lo. Agora a justiça afronta a democracia, quebra a harmonia entre os poderes e condena um deputado federal. Ele não condenou apenas um deputado federal, ele atacou a democracia do nosso País”, destacou Alberto Neto ao dizer que o STF envergonha a nação.

Já o deputado Pablo questionou sobre a liberdade de expressão e direito de opinião.

“STF condena Daniel Silveira a 8 anos e 9 meses de prisão… a decisão chama de antidemocráticas as manifestações de Daniel… Liberdade de expressão? Direito de opinião? O que dizer? Todo poder emana do povo. Então a palavra está com o povo! Comentem”, escreveu o Pablo.

Dos 11 ministros, dez votaram a favor da condenação do parlamentar. Apenas Kassio Nunes Marques entendeu que as manifestações do congressista nas redes sociais ao longo dos anos de 2020 e 2021 não se configuraram como ataques às instituições.

Deixe um comentário