Em Manaus, Bolsonaro afirma que não irá participar da COP26

Em Manaus, Bolsonaro afirma que não irá participar da COP26

Em Manaus, Bolsonaro afirma que não irá participar da COP26

Anúncios

Em entrevista ao Alerta Nacional, da TV A Crítica, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, nessa quarta-feira (27), que não vai comparecer à 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, conhecida como COP 26, encontro que ocorrerá em Glasgow, na Escócia, de 31 de outubro a 12 de novembro.

Até então, a participação de Bolsonaro na conferência era uma especulação. “A princípio não vou, não. É uma estratégia nossa. O nosso ministro do Meio Ambiente vai. É um local que nós já assumimos compromisso e estamos cumprindo. Você não está vendo a gente apanhar da mídia porque reduzimos bastante o desmatamento. Podíamos ter reduzido mais, se no ano antes, se o presidente da Câmara (Rodrigo Maia) não tivesse à época boicotado uma medida provisória nossa que tratava da regularização fundiária”, contou Bolsonaro a Sikêra.

Bolsonaro voltou a culpar governadores pelos aumentos recorrentes dos combustíveis. Segundo o presidente, o ICMS deveria ser um valor fixo.

“O ICMS é bitributado. Entrei com uma ação no Supremo Tribunal Federal há três meses e o Supremo não se manifesta. O que quero é cumprir o dispositivo constitucional que fala que o ICMS tem que ser nominal”, disse.

Bolsonaro disse que estuda a privatização da Petrobras e que a suposta venda da empresa de capital misto seria para acabar com o monopólio estatal.

Bolsonaro voltou a culpar governadores pelos aumentos recorrentes dos combustíveis. Segundo o presidente, o ICMS deveria ser um valor fixo.

“O ICMS é bitributado. Entrei com uma ação no Supremo Tribunal Federal há três meses e o Supremo não se manifesta. O que quero é cumprir o dispositivo constitucional que fala que o ICMS tem que ser nominal”, disse.

Bolsonaro disse que estuda a privatização da Petrobras e que a suposta venda da empresa de capital misto seria para acabar com o monopólio estatal.

A Petrobras não tem mais o monopólio da exploração de petróleo no Brasil desde 1997, quando o então presidente Fernando Henrique editou a nova Lei do Petróleo.

Questionado sobre a inflação de dois dígitos, Bolsonaro culpou a “política do fica em casa” em referência às medidas de distanciamento social tomadas por prefeitos e governadores para baixar as internações e mortes por covid-19.

“Falei temos que combater o vírus e combater o desemprego. Os dois matam. O pessoal me acusava de defender empresário”, afirmou.

Sobre a sua ida para um novo partido para disputar à reeleição em 2022, o presidente disse que deve decidir a sigla nos próximos dias.

Na semana passada, o presidente do PL, Waldemar Costa Neto, convidou Bolsonaro para integrar o partido. Desde 2019, Bolsonaro está sem legenda depois que perdeu uma disputa pelo comando do PSL.

Em tom ameno, o presidente Bolsonaro ainda chegou a reconhecer o capital político-eleitoral do ex-presidente Lula, lider nas pesquisas de intenção de votos. “Ele (Lula) tem seguidor, tem gente que gosta dele. Ele consegue convencer uma parcela da sociedade, apresenta soluções. Agora é um partido que nos entregou uma quantidade de problemas enormes”, disse.

Bolsonaro voltou a culpar governadores pelos aumentos recorrentes dos combustíveis. Segundo o presidente, o ICMS deveria ser um valor fixo.

“O ICMS é bitributado. Entrei com uma ação no Supremo Tribunal Federal há três meses e o Supremo não se manifesta. O que quero é cumprir o dispositivo constitucional que fala que o ICMS tem que ser nominal”, disse.

Bolsonaro disse que estuda a privatização da Petrobras e que a suposta venda da empresa de capital misto seria para acabar com o monopólio estatal.

A Petrobras não tem mais o monopólio da exploração de petróleo no Brasil desde 1997, quando o então presidente Fernando Henrique editou a nova Lei do Petróleo.

Questionado sobre a inflação de dois dígitos, Bolsonaro culpou a “política do fica em casa” em referência às medidas de distanciamento social tomadas por prefeitos e governadores para baixar as internações e mortes por covid-19.

“Falei temos que combater o vírus e combater o desemprego. Os dois matam. O pessoal me acusava de defender empresário”, afirmou.

Sobre a sua ida para um novo partido para disputar à reeleição em 2022, o presidente disse que deve decidir a sigla nos próximos dias.

Na semana passada, o presidente do PL, Waldemar Costa Neto, convidou Bolsonaro para integrar o partido. Desde 2019, Bolsonaro está sem legenda depois que perdeu uma disputa pelo comando do PSL.

Em tom ameno, o presidente Bolsonaro ainda chegou a reconhecer o capital político-eleitoral do ex-presidente Lula, lider nas pesquisas de intenção de votos. “Ele (Lula) tem seguidor, tem gente que gosta dele. Ele consegue convencer uma parcela da sociedade, apresenta soluções. Agora é um partido que nos entregou uma quantidade de problemas enormes”, disse.

Deixe um comentário