Você está visualizando atualmente Em meio à críticas, Ricardo Salles desembarca em Manaus para lançamento da Secretaria da Amazônia

Em meio à críticas, Ricardo Salles desembarca em Manaus para lançamento da Secretaria da Amazônia

Em meio à críticas, Ricardo Salles desembarca em Manaus para lançamento da Secretaria da Amazônia

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, é aguardo amanhã (31) na capital amazonense, para o lançamento da Secretaria da Amazônia e irá desembarcar em meio a protestos de políticos devido a sua última declaração de dizer ser contrário aos incentivos para a fabricação de bicicletas na Zona Franca de Manaus (ZFM).

“Em vez de continuar a dar subsídios a fundo perdido para o cara fabricar bicicleta na Amazônia, vamos fazer coisa que realmente precisar estar na Amazônia”, disse o ministro ao blog BRNotícias, do Estadão.

Nas redes sociais, o senador Eduardo Braga (MDB), gravou um vídeo, pedindo ao presidente Jair Bolsonaro para controlar as declarações dos seus ministros e que ele coloque ordem na casa. “Queremos fazer um pelo ao presidente Bolsonaro para que ele possa chamar seus ministros e coloque ordem com relação à Zona Franca de Manaus”, criticou.

“O ministro Ricardo Salles perdeu a oportunidade de fazer um movimento que o mundo inteiro está fazendo, em relação aos meios de transportes alternativos e não poluentes, entre eles as bicicletas. A própria Uber, por exemplo, mundo a fora, está agora alugando bicicletas elétricas e patinetes para fazer o transporte urbano alternativo, principalmente, em áreas turísticas”, completou Braga.

O deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos) também comentou a respeito da declaração do ministro do Meio Ambiente e defendeu a fabricação de bicicletas no Polo Industrial de Manaus (PIM), cuja fabricantes produziram quase um milhão de peças ano passado.

“Há potencial da Zona Franca de Manaus no polo de bicicletas sim. Através dessa rota, que será mais fácil e barata, nós atingiremos os mercados peruano e chileno para vender as bicicletas fábricas aqui. Precisamos superar a questão das nossas fronteiras e explorar os potenciais que são inúmeros”, disse Alberto Neto.

O parlamentar ainda informou que fomentar novas matrizes econômicas, como a exploração da biodiversidade, é fundamental para ter uma economia pulsante e promissora. Mas, é preciso fazer isso com os pés no chão, conhecendo a realidade do Polo Industrial de Manaus e seu potencial.

“Teve um equívoco de o ministro pensar que um incentivo para retirar o outro, porém ele acerta em enxergar que este é o nosso futuro é a biotecnologia”, ressaltou o parlamentar sobre a entrevista em que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse que os incentivos fiscais que hoje beneficiam a fabricação de bicicletas poderão favorecer a bioeconomia.

Alberto Neto acredita que a exploração das riquezas da Amazônia, através da fabricação de medicamentos, produtos alimentícios, ecoturismo entre outros, é essencial para garantir cidadania as populações do interior do Amazonas com geração de emprego e renda, além de manter a floresta protegida.

“A biotecnologia é mais uma delas que, com certeza, será o carro chefe no futuro. Mas, precisamos pensar no presente. Hoje, os incentivos da bicicleta são importantes e nós precisamos expandir ainda mais as vendas. Isso é bom para o país, isso é bom para o Amazonas. Significa a redução da desigualdade regional”, salientou.

Por fim, o deputado disse que o polo de bicicletas da Zona Franca de Manaus (ZFM) é um segmento importante para a indústria local e a produção deste ano deve crescer 7,3%, segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

Deixe um comentário