Em Parintins, alunos e professores reivindicam alimentação e ajustes salariais em escolas públicas
Foto: Divulgação

Em Parintins, alunos e professores reivindicam alimentação e ajustes salariais em escolas públicas

A situação da educação pública em Parintins, a 369 quilômetros de Manaus, é precária e vem sendo acompanhada de insatisfação por parte de alunos e professores da rede. Nesta última quinta-feira, 8, estudantes e educadores da Escola de Tempo Integral Gláucio Gonçalves (Ceti) e da Escola Estadual Brandão de Amorim se manifestaram em frente à catedral da cidade.

Anúncios

Segundo fontes do portal Direto ao Ponto, os alunos reivindicam café da manhã e almoço do Ceti. Por ser ensino integral, a escola deveria oferecer todas as refeições diurnas. No entanto, só há merenda na parte da manhã e à tarde.

A fonte disse ainda que a coordenadoria da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) em Parintins ainda não tem licitação para que o caso seja resolvido. “Por causa disso, a direção da escola orientou aos alunos que entrem na escola já com o café da manhã. Eles serão liberados a partir das 11h30 para almoçar em casa e retornam às 13h. O correto seria a escola oferecer todas as refeições”, declarou a fonte.

Já os professores, que também estavam presente no protesto, reclamam sobre as condições salariais.

Segundo a SEDUC, o Governo do Estado já garantiu a data-base para março e estuda o percentual possível, em vista do limite prudencial fixado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, cujo descumprimento constitui crime de improbidade administrativa. Ainda segundo o órgão, o índice será anunciado na próxima semana. O Governo também garantiu para abril as progressões dos servidores que alcançaram grau de especialização, mestrado e doutorado.

“Quanto à merenda escolar, foram repassados recursos para todas as Coordenadorias Regionais de Educação no interior. Esse recurso se destina para a compra dos gêneros alimentícios nos próprios municípios”, informou a SEDUC.

Deixe um comentário