Empresários do entretenimento buscam alternativas para o setor no Amazonas

Empresários do entretenimento buscam alternativas para o setor no Amazonas

Empresários do entretenimento buscam alternativas para o setor no Amazonas

A Associação de Entretenimento do Amazonas (ASSEAM) tem se reunido desde segunda-feira (16), para debater sobre as medidas necessárias de combate ao novo coronavírus (Covid-19). Assim como, para buscar alternativas em prol da situação de trabalhadores noturnos, que dependem dos eventos da cidade.

A ASSEAM publicou uma nota oficial em suas redes sociais, sobre as medidas de combate ao coronavírus.

“Precisamos de um olhar cauteloso por parte dos nossos governantes para a classe que atua no ramo de entretenimento na noite amazonense. E que gera diversos empregos diretos e indiretos para várias famílias. Aqui nos colocamos cientes da necessidade técnica de prevenção e levaremos ao conhecimento das autoridades competentes, a preocupação e as demandas da nossa classe.” destaca em sua nota.

Na manhã de terça-feira (17), os membros da comissão da ASSEAM foram ao encontro do diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula, e do secretário de cultura do Amazonas, Marcos Apolo para debater sobre o impacto do coronavírus no mercado do entretenimento. As lideranças se colocaram a disposição para ajudar a categoria durante a pandemia.

Segundo Nicolas Gomes, presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, e assessor jurídico da ASSEAM, são mais de 20 mil empregos diretos e indiretos deste seguimento.

“Temos o apoio irrestrito das casas noturnas para resguardar a saúde dos consumidores amazonenses. Buscaremos apoio dos órgãos governamentais. A OAB Amazonas e a Comissão de Defesa do Consumidor se solidariza com a causa, conferindo total apoio ao pleito.” declarou Nicolas.

Reunião com Governador

William Lauschner, proprietário da casa noturna Porão do Alemão e presidente da ASSEAM, declarou em suas redes sociais que nessa quinta-feira (19), fará uma reunião com o Governador Wilson Lima e convidou a população para “dar uma força” junto a comissão, para melhor decidir o que será feito.

“Nossa preocupação hoje é com vocês clientes e com nossos colaboradores. Nesse momento não adianta usarmos paliativos.” disse William sobre a o fechamento da casa, e demais eventos em Manaus. O presidente alerta sobre a transmissão rápida do vírus, e a possibilidade de existir mais casos, que ainda não estão sob controle do Estado.

Deixe um comentário