Fantasia que faz referência à morte de Eliza Samudio viraliza e gera críticas em Manaus

Fantasia que faz referência à morte de Eliza Samudio viraliza e gera críticas em Manaus

Fantasia que faz referência à morte de Eliza Samudio viraliza e gera críticas em Manaus

Anúncios

A casa noturno Porão do Alemão foi duramente criticada na noite dessa segunda-feira, (1º) após viralizar a foto de um homem fantasiado em referência à morte de Eliza Samudio, vítima de feminicídio de seu ex-namorado e ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes. A publicação foi apagada algumas horas depois e segundo o direção do local, a pessoa responsável pela postagem foi afastada do cargo.

“Sobre a foto excluída: O Porão do Alemão não compactua com apologia a qualquer crime, inclusive feminicídio. A foto foi postada pelo nosso estagiário que tem 20 anos de idade. O crime foi há cerca de 11 anos. Foi alegado desconhecimento, e a nossa direção imediatamente ao ver a foto, apagou e advertiu o responsável. Pedimos publicamente desculpas pelo ocorrido. O funcionário em questão foi temporariamente afastado”, esclareceu o estabelecimento.

O deputado federal, Zé Ricardo (PT) se manifestou em suas redes sociais a respeito do assunto e disse que apologia ao crime também é crime, como previsto no código penal.

Já a deputado Joana Darc (PL), informou que vai denunciar às autoridades competentes o caso. A parlamentar disse nas redes sociais que, como mulher se sentiu mal e ofendida ao ver a imagem e que isso trata-se de uma apologia à violência contra as mulheres.

“Isso não é fantasia de Halloween, isso é apologia a um crime cometido contra uma mulher que foi estrangulada, esquartejada e morta. Que horror! Não podemos nos calar mulheres! Como membro da Comissão de Defesa das Mulheres da Aleam, deputada, mãe e mulher comunico que estou denunciando e representando às autoridades!”, publicou Joana.

Outro parlamentar que também se manifestou foi o deputado federal, Capitão Alberto Neto (Republicanos), que repudiou a atitude do homem e também do estabelecimento.

“Isso não é fantasia e muito menos brincadeira, é apologia ao crime de feminicídio. E eu, como membro da Comissão de Segurança da Câmara Federal quero a punição dessa pessoa, afinal o Artigo 287, do Código Penal, diz que fazer, publicamente, apologia de fato criminoso ou de autor de crime, há a pena de detenção, de três a seis meses, ou multa. Nossas mulheres devem ser respeitadas. Deixo aqui meu repúdio e indignação a este fato lamentável!”, escreveu Alberto Neto.

Nas redes sociais, diversas pessoas criticaram o homem que usava a fantasia, e o estabelecimento por permitir que o rapaz entrasse na casa noturna.

Caso Eliza Samudio

O caso Eliza Samudio refere-se aos acontecimentos que envolveram o desaparecimento e morte da modelo e atriz Eliza Silva Samudio, ocorridos em 2010. Durante as investigações, uma das testemunhas relatou aos investigadores do caso que a moça teria sido morta por estrangulamento. Em seguida, o cadáver teria sido esquartejado e enterrado sob uma camada de concreto. O caso obteve repercussão nacional e internacional, pois o goleiro Bruno Fernandes foi um dos seus elaboradores.

Deixe um comentário