Festival de Parintins mostra resistência pelo 2º ano consecutivo sem público

Festival de Parintins mostra resistência pelo 2º ano consecutivo sem público

Festival de Parintins mostra resistência pelo 2º ano consecutivo sem público

Considerada uma das maiores festas regionais do país, o Festival Folclórico de Parintins é realizado a céu aberto e reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Anúncios

O duelo entre os bois Caprichoso e Garantido, faz parte do calendário oficial do município desde 1965, e além de mexer com a idolatria que literalmente divide a cidade entre vermelho e azul, é o principal motor econômico do município do interior.

Apesar da rivalidade na arena entre Caprichoso e Garantido, que hoje tem reconhecimento internacional e que mobiliza milhares de pessoas e atrai outros milhares de turistas. A magia dos bumbás, com alegorias e cenários exuberantes começa a ser trabalhada quatro meses antes, quando cerca de 1,5 mil artistas de cada agremiação dão vida ao espetáculo que encanta os visitantes.

Para se ter uma noção da importância da festa dos bois para Parintins, de acordo com a Amazonastur em 2019, em sua última edição presencial, o festival reuniu 66 mil turistas e movimentou mais de R$ 50 milhões.

Segundo a Amazonastur, o turismo foi o setor mais afetado pela pandemia da Covid-19, o que impactou diretamente na realização do Festival Folclórico de Parintins. Se em 2019, quando a festa contou com o apoio do Governo do Estado e teve um aumento no volume de turistas em 10,53% se comparado ao ano de 2018, em que atraiu cerca de 60 mil.  A não realização do evento, gera um grande impacto na economia de Parintins e do Estado do Amazonas.

Visita de turistas estrangeiros antes da pandemia Covid-19

 

Desemprego

O Direto ao Ponto conversou com os presidentes dos bois para entender o tamanho do prejuízo causado pela pandemia às agremiações.

 

Presidente do boi Garantido, Antônio Andrade

 

O presidente da Associação Folclórica Boi-Bumbá Garantido, Antônio Andrade, contou que os problemas econômicos chegaram perto dos R$ 15 milhões

“Perdemos mais de 100 membros, entre artistas, sócios e brincante. Entre todos os problemas, o maior que tivemos que enfrentar foram os internos, já que o Garantido emprega direta e indiretamente mais de 4 mil pessoas. Muitas famílias ficaram desempregadas e sem renda e até sem esperança, principalmente nesse período do festival”, destacou.

Já Jender Lobato, presidente da Associação Folclórica Boi-Bumbá Caprichoso, destacou que a associação atuou em questões sociais, distribuindo cestas básicas para as famílias do município.

Presidente do boi Caprichoso, Jender Lobato

 

“Como não conseguimos realizar o festival, decidimos atuar em uma área que já atuávamos, mas decidimos intensificar, que foi trabalhar a questão social do Caprichoso. Conseguimos doar mais de 30 milhões de alimentos para o povo que sofre com o desemprego e está sofrendo sem poder trabalhar”, disse.

Economia criativa

O município de Parintins tem como principal renda a economia criativa, e desde março do ano passado está praticamente parada, tudo lamentavelmente por causa da pandemia do novo coronavírus.

Para atenuar os impactos causados pela covid-19, desde 2020, o governo do Amazonas, tem apoiado as ações dos bois. Segundo informou o secretário de cultura e economia criativa, Marcos Apolo Muniz, que por determinação do governador Wilson Lima, a Secretaria de Cultura tem desenvolvido ações (apoio às lives, doação de cestas básicas, além de editais que alcançam trabalhadores da cultura de todo o Estado) para que as famílias parintinenses que dependem do Festival não fiquem desassistidas.

Secretário de cultura e economia criativa, Marcos Apolo Muniz

 

Marcos, ainda afirmou que as ações na área cultural complementam outros investimentos do Governo do Amazonas, como o Auxílio Estadual, no valor de R$ 600 em três parcelas; o Auxílio Enchente, de R$ 300; e o crédito emergencial a empreendedores afetados pela pandemia e cheia dos rios.

Ainda de acordo com o titular da secretaria de cultura e economia criativa, Marcos Muniz, a apresentação dos bumbás neste ano, alcançará mais de 700 famílias financeiramente, uma vez que a atividade contempla uma série de trabalhadores da cadeia produtiva da cultura e economia criativa.

“A Secretaria segue em conversa com representantes das manifestações culturais que tiveram as atividades suspensas para ajudá-los em diferentes frentes, dentro das possibilidades e da forma como é permitido no momento de pandemia”, afirmou o secretário.

O governador Wilson Lima (PSC), esteve na cidade e visitou os currais dos bois Caprichoso e Garantido, onde entregou dois mil kits com alimentos aos artistas dos bumbás em situação de vulnerabilidade social e que tiveram suas vidas afetadas pela pandemia.

“Essa é a nossa identidade, o festival emprega muita gente. Tem gente que trabalha o ano todo se preparando para o festival. Quem poderia imaginar, em algum tempo, que a gente teria o Festival de Parintins interrompido? Se tudo der certo e a gente conseguir avançar na vacinação, vamos ter em 2022 o maior festival de todos os tempos”, prometeu governador.

Latinhas temáticas

Com a parceria entre governo do Amazonas e a Coca-Cola Brasil, que tem contribuído com os eventos culturais do Estado, serão lançadas latinhas temáticas do Guaraná Tuchaua Champ que tradicional é verde e branco, reverenciará neste ano o Festival Folclórico de Parintins, abrindo espaço para o vermelho do Garantido e o azul do Caprichoso.

A renda proveniente da venda dessa edição especial será, em parte, doada aos artistas dos bumbás, por meio de cestas básicas que serão repassados para o Instituto Abílio Pontes, que contemplará, mais de 750 famílias em Parintins.

Parintins live 2021

Para não perder a tradição de brincar de boi no último final de semana de junho, pelo segundo ano consecutivo os bois – cumprindo todos os protocolos sanitários -, promoveram no sábado (26) o ‘Parintins Live 2021’, uma apresentação mais intimista, mostrando os principais itens das agremiações e com parte da Batucada (Garantido) e Marujada (Caprichoso).

O presidente do caprichoso explica que a internet tem sido grande aliada desde o início da pandemia, e os artistas do boi azul e branco tem conseguido apresentar seus trabalhos, graças a ela.

“Nós temos utilizado as ferramentas da internet, tem sido uma aliada do caprichoso. Nosso boi tem gravado e produzido os grandes álbuns musicais. Toda vez que a gente produz um álbum musical, toda vez que a gente grava, a gente tem ajudado os artistas com isso que conseguem monetizar as toadas e trazer renda para suas casas e famílias”, garantiu.

Festival de 2022

O presidente da Câmara Municipal de Parintins, vereador Mateus Assayag, afirmou ao Direto ao Ponto que, com a vacinação avançando, não tem dúvida que 2022 será um dos maiores festivais que ilha já teve.

“Estão todos ansiosos, tanto os bois, como os parintinenses e turistas, doidos para vir par a festa. E tenho certeza que Parintins vai superar esse tempo difícil e esse impacto financeiro.

O prefeito Bi Garcia destacou a parceira com o Governo do Amazonas, na ação do vacinaço na Ilha. Na ocasião, mais de 5 mil parintinenses de 22 a 29 anos foram imunizados. Além disso, foram feitas doações para a Saúde do município.

Em sua passagem pela Ilha, o governador, obviamente, fez acenos ao eleitorado do município. Inaugurou a ampliação do aeroporto Júlio Belém é anunciou investimentos no setor primário.

Deixe um comentário