Fundação Amazonas Sustentável (FAS) é uma farsa, afirma deputado

Fundação Amazonas Sustentável (FAS) é uma farsa, afirma deputado

O deputado estadual Augusto Ferraz (DEM), fez coro com o presidente Jair Bolsonaro contra as ONG.s que atuam no Amazonas. Ferraz denunciou na manhã desta terça-feira (3), que a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) não tem destinado devidamente os recursos que a fundação recebe para apoio às comunidades ribeirinhas carentes.

“Quero parabenizar o presidente da República, pelo belíssimo trabalho que ele tem desempenhando como gestor público… mostrando a toda sociedade como tem que ser feita gestão… como nós temos que cortar gastos. Desmistificando essas quadrilhas que estão instaladas dentro do nosso país, da nossa nação. Inclusive, sobre essas quadrilhas, não são todas, mas 80% das chamadas ONGs, são para saquear o nosso país. E quero parabenizar o nosso presidente por estar tirando do nosso meio esses sangue sugas, que se dizem protetor das nossas florestas, mas tudo isso é conversa fiada. São parasitas que estão extraindo os recursos da nossa sociedade “, declarou o deputado.

O parlamentar saiu em defesa da comunidade Terra Preta, no Rio Negro, afirmou que deveria estar recebendo recursos da FAS, mas está abaixo da linha da pobreza. “Uma das ONGs que é a FAS, eu quero que me mostre, já pedi aqui na tribuna várias vezes. A comunidade Terra Preta até a última comunidade do Iranduba, eles estão abaixo da linha da pobreza e quem cuida dessas comunidades é chamada FAS. Eu já pedi para o presidente de lá, para o secretário, para me mostrarem o que realmente a fundação está fazendo para levar oportunidade para esses ribeirinhos”, afirmou Ferraz pedido justificativas sobre os dados de pobreza das comunidades.

A exemplo da falta de compromisso da Fundação o deputado destacou que, há quatro anos quando entrava para a vida na política a Casa da farinha , criada pela FAS, ainda se encontra da mesma forma até hoje. Ele destacou ainda, que a Fundação deveria ser uma casa que defende o artesanato como forma de oportunidade para as comunidades ribeirinhas, mas ela não o faz. “Desde de 2013 que ela existe, é muito dinheiro dado pela Alemanha, pela Noruega, pelo BNDS. Há várias instituições que fomentam essa instituição e eu não vejo gerar nenhum benefício para a sociedade”, disse convidando o superintende-geral da FAS, Virgílio Viana para apresentar os trabalhos já feitos pela Fundação.

Deixe um comentário