Governo contabiliza implantação de 32 miniusinas de oxigênio em 13 municípios do AM

Governo contabiliza implantação de 32 miniusinas de oxigênio em 13 municípios do AM

Governo contabiliza implantação de 32 miniusinas de oxigênio em 13 municípios do AM

O Amazonas já opera em 13 municípios, incluindo a capital, com miniusinas geradoras de oxigênio medicinal (O2), totalizando 32 equipamentos em funcionamento com produção independente de 16 mil metros cúbicos/dia do produto. Os dois últimos municípios que tiveram miniusinas instaladas, nos últimos dias, foram Careiro Castanho e Alvarães.

Anúncios

A implantação das miniusinas conta com o suporte da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra), com supervisão dos fabricantes. No Careiro, a Prefeitura do município providenciou o equipamento. Em Alvarães, a minusina foi doada pela União BR. A produção diária individual é de 288 metros cúbicos e 192 metros cúbicos ao dia, respectivamente, nos dois municípios.

Além do Careiro, Alvarães e Manaus, outras 10 cidades amazonenses já dispõem de miniusinas em operação: Autazes, Nova Olinda do Norte, Manacapuru, Tabatinga, Tefé, Itacoatiara, Parintins, Maués, Coari e Humaitá. Algumas delas com mais de um equipamento, como é o caso de Itacoatiara (3) e Parintins (2 e ainda receberá mais uma).

O titular da Seinfra, Carlos Henrique Lima, explica que a meta é contemplar pelo menos 30 municípios, dando início à autossuficiência na produção do insumo no interior. A estratégia, traçada através do Plano de Contingência, estabelecido em cooperação entre os Governos do Estado e Federal, inclui um cronograma com a implantação de 74 miniusinas ao todo, produzindo mais de 35,4 mil metros cúbicos/dia de O2, volume maior, por exemplo, do que o gerado pela planta industrial da empresa White Martins, principal fornecedora de gases medicinais do Estado, e que produz, em média, 30 mil metros cúbicos diários.

Segundo Carlos Henrique, as usinas estão sendo instaladas em tempo recorde, levando de dois a cinco dias, permitindo a ampliação da oferta de oxigenioterapia na rede pública de saúde e, ainda, a abertura de novos leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Os equipamentos chegaram ao estado através de fontes diversas. Entre elas, estão doações de movimentos sociais, aquisições do Ministério da Saúde, das próprias prefeituras e da White Martins. O Hospital Sírio Libanês e a Fundação Itaú também integram a lista de doadores. O Governo do Amazonas, através da Secretaria de Estado da Saúde (SES-AM), está em fase final de aquisição de mais 29 miniusinas, que serão destinadas a unidades da capital e do interior.

Veja as unidades que já dispõem de usinas em funcionamento

As seguintes unidades hospitalares contam com miniusinas em operação atualmente: Hospital Regional de Autazes (1); Hospital Regional de Nova Olinda do Norte (1); Hospital Regional do Careiro (1); Hospital Regional de Alvarães (1); Hospital Regional de Itacoatiara (2); UPA de Itacoatiara (1); Hospital de Campanha de Manacapuru (1); Hospital Regional de Parintins (2); Hospital de Maués (2); Hospital Regional de Coari (1); Hospital Regional de Humaitá (1); Upa Tabatinga (1); Hospital Regional de Tefé (1); E em Manaus, Fundação Cecon (1), Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto (1), Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo (1), Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV – 1), Hospital de Campanha Delphina Aziz (2), Fundação do Coração Francisca Mendes (1), Hospital e Pronto Socorro João Lúcio (1), Maternidade Azilda Marreiros (1), SPA da Redenção (1), Instituto da Criança do Amazonas (Icam – 1), Hospital de Campanha Nilton Lins (1), Fundação de Medicina Tropical (1), Hospital Beneficente Portuguesa (1), Hospital Adventista de Manaus (2).

Deixe um comentário