Governo do Estado deve comprar máscaras fabricadas por costureiras do AM, propõe dep. Fausto Jr.

Governo do Estado deve comprar máscaras fabricadas por costureiras do AM, propõe dep. Fausto Jr.

Governo do Estado deve comprar máscaras fabricadas por costureiras do AM, propõe dep. Fausto Jr.

O aumento do número de casos de coronavírus no Amazonas levou o deputado estadual Fausto Jr. (MDB) a apresentar ao governo do Estado a proposta de ampliar a aquisição de máscaras de proteção confeccionadas por costureiras do Amazonas.

Anúncios

De acordo com o deputado, que já está discutindo com o governo a compra dos equipamentos de proteção, o objetivo é incentivar as cooperativas e grupos de costureiras na capital e interior do Estado.

Outra ideia apresentada ao governo foi a retomada do projeto Costurando Esperança, Protegendo Vidas, que reúne costureiras em vários municípios para confecção de máscaras de proteção.

O projeto foi paralisado pelo governo do Estado, mas deve ser retomado nas próximas semanas, defende Fausto Jr. A ideia é distribuir máscaras gratuitamente para a população e contribuir para o controle da pandemia no Amazonas.

Fausto disse que conversou com representantes do setor de corte e costura, que disseram que estão à disposição do governo para confeccionar os materiais de proteção.

A intenção é incentivar a produção nos municípios, gerando renda às costureiras, e principalmente facilitar o uso de máscaras entre a população.

O deputado ressaltou que a maioria das máscaras (reutilizáveis ou descartáveis) usadas no Amazonas é produzida em outros Estados e países. “As máscaras que estamos usando são fabricadas fora do Estado. Temos que reverter esse número e ajudar nossas costureiras neste momento de crise”, afirmou Fausto.

Com a compra da produção local, o governo injetará recursos na economia dos municípios, que enfrentam os efeitos da crise econômica provocada pela pandemia do coronavírus.

“Todos saem ganhando com a compra da produção local. Já estamos discutindo os meios para que a proposta seja colocada em prática o mais rápido possível”, destacou Fausto Jr.

Em São Paulo, uma parceria entre o governo e a prefeitura da capital permitiu que cooperativas de costureiras fabricassem mais de dois milhões de máscaras que foram distribuídas gratuitamente à população.

Para cada peça confeccionada o governo pagou R$ 2. Foram mobilizadas 700 costureiras, que após o sucesso da fabricação das máscaras, também produziram aventais hospitalares e protetores faciais.

Deixe um comentário