Governo Federal libera ampliação da LG para ZFM

Governo Federal libera ampliação da LG para ZFM

Governo Federal libera ampliação da LG para ZFM

Na noite desta terça-feira (11) passados treze dias que o projeto de ampliação da LG Electronics foi retirado da pauta do Conselho de Administração da Suframa, o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia, Carlos da Costa, em reunião com dirigentes da empresa sul coreana LG Electronics e representantes da indústria do Amazonas, anunciou, que o projeto de ampliação da LG está liberado para Zona Franca de Manaus (ZFM).

Anúncios

Carlos da Costa impôs a condição de que a empresa gere acima dos 68 empregos apresentados no projeto e recebeu o compromisso dos executivos, que a LG vai gerar mais postos de trabalho no Polo Industrial de Manaus (PIM) nos próximos anos.

Sem dar detalhes da reunião que considerou “produtiva”, o titular da Sepec, Carlos da Costa disse ter entendido a urgência na tomada de decisão sobre os investimentos que serão feitos pela LG e que, em contrapartida, a empresa também teria compreendido a necessidade da criação de mais empregos do que os que foram previstos inicialmente.

“Depois de várias conversas amistosas e com o objetivo de viabilizar esse projeto, chegamos hoje a uma conclusão. Reconhecendo a importância dessa empresa, com seus 2.200 postos de trabalho, sendo o quarto maio empregador do Amazonas, aceleramos as análises depois de um compromisso de mais que dobrar a geração de empregos previstas originalmente”, disse Carlos.

A decisão foi antecipada em mais de um mês – a previsão era que o projeto voltasse à pauta do CAS em 26 de junho – e vai garantir que a produção comece em julho, como queria a LG.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio Silva, também participou do encontro e endossou a “interlocução sadia entre as partes”, destacando que o novo compromisso da LG “tornará saudável a relação entre o Ministério da Economia, por meio da Sepec, e o segmento industrial”.

Fonte: Portal Único

Deixe um comentário