Gritos de ‘O luto virou luta’ manifestantes pedem justiça por Flávio
Foto: Rickardo Marques/G1 AM

Gritos de ‘O luto virou luta’ manifestantes pedem justiça por Flávio

Gritos de ‘O luto virou luta’ manifestantes pedem justiça por Flávio

 

A noite desta quarta-feira (9) foi marcada por protesto e pedido de Justiça por familiares, populares e amigos do Engenheiro Flávio Rodrigues, em frente a parada de ônibus que custou mais de R$ 200 mil e foi considerada a mais cara do Brasil.

Anúncios

Usando cartazes, faixas e camisetas, todos pediam Justiça por Flávio, que foi encontrado morto no último dia (30), após ter sumido da festa na casa de Alejandro Valeiko, enteado do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto.

Com saída em frente a parada, manifestantes seguiram em caminhada pacífica pelo calçadão da ponta negra gritando a frase ‘O luto virou luta’, e pedindo justiça.

Em entrevista à Tv Acrítica, uma das organizadoras do protesto, Camila Alves, disse que a sociedade quer uma resposta e quer saber o que aconteceu com Flávio. “Queremos o que toda a sociedade de bem quer, que é justiça para o Flávio. Todos que estão aqui se mobilizaram de forma espontânea, pedindo esclarecimento e que os fatos sejam apurados para que a verdade prevaleça”, disse Camila Alves que ainda informou que não acredita na versão dada por Mayc Parede de que ele seria o autor do crime. Ela acredita que todos tenham o envolvimento no caso e pediu mais uma vez justiça e que o caso não fique impune.

Caso Flávio

O engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos foi encontrado morto no último dia (30) por populares em um terreno baldio no Tarumã. Na noite anterior, Flávio participava de uma festa na casa de Alejandro Molina Valeiko, filho da primeira-dama do município Elisabeth Valeiko. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO) feito por um dos conhecidos e um dos suspeitos envolvido no crime do engenheiro, José Edvandro Martins de Souza Júnior, a casa de Alejandro foi invadida por dois homens encapuzados que sequestraram e mataram Flávio.

Segundo informações, os homens encapuzados seriam o sargento Eliseu da Paz, segurança do prefeito de Manaus e familiares, lotado na Casa Militar, e o lutador de MMA Mayc Vinicius Teixeira Parede. Da Paz disse em depoimento à polícia que no dia do ocorrido, agiu por conta própria e foi até a casa de Alejandro verificar como estavam as coisas na casa dele e resolveu dar um susto no enteado do prefeito. Na última terça-feira (8), o lutador de MMA, Mayc Parede, assumiu ser um dos encapuzados e que seria autor do homicídio que vitimou o engenheiro.

Todos os envolvidos estão em prisão provisória por 30 dias e que podem ser prorrogadas por mais 15 dias, até a finalização do inquérito policial. Entre os principais suspeitos estão Alejandro Molina Valeiko, enteado de Arthur Virgilio; Elielton Magno e José Edvandro (Junior Gordo), Vitório Del Gato (Cozinheiro), Sargento Da Paz e Mayc Parede.

Deixe um comentário