Médicos suspeitam de isenção de comissão, mas deputada descarta anular trabalhos

Médicos suspeitam de isenção de comissão, mas deputada descarta anular trabalhos

Médicos suspeitam de isenção de comissão, mas deputada descarta anular trabalhos

A deputada estadual Alessandra Campelo (MDB) descartou, na manhã desta quarta-feira (29) a possibilidade de anular a atual composição da comissão especial que analisa a admissibilidade das denúncias contra o governador Wilson Lima (PSC) e o vice-governador Carlos Almeida Filho (PTB) por crimes de responsabilidade.

Anúncios

O pedido foi apresentado na terça-feira (28) pelo Sindicado dos Médicos do Amazonas (Simeon), 20 dias após a homologação dos membros da comissão, realizada em reunião no último dia 9 de julho. O Simeam, no entanto, não é o autor das denúncias que foram recebidas pela Aleam. Os pedidos de impeachment foram feitos pelos médicos Mário Vianna e Patrícia Sicchar.

No documento, o Simeam pede questão de ordem para anular a atual comissão e instaurar nova eleição da comissão, com a exclusão de oito deputados que supostamente são citados em lista encontrada pela Polícia Federal, na Operação Sangria, no último dia 30 de junho, no gabinete do governador.

O sindicato afirma que a lista é “comprometedora” e “revela fortíssimos indícios de recebimento de propina envolvendo o gabinete do governo e os deputados estaduais do Amazonas, entre eles: a deputada Mayara Pinheiro; o deputado Saullo Vianna; a deputada Therezinha Ruiz; o deputado Belarmino Lins (vulgo Belão); o deputado Carlinhos Bessa; o deputado Roberto Cidade e o deputado Abdala Fraxe”.

Fonte: Amazonas Atual

 

Deixe um comentário