Omar para Bolsonaro: ‘Compre Vacina, não compre Cloroquina’

Omar para Bolsonaro: ‘Compre Vacina, não compre Cloroquina’

Omar para Bolsonaro: ‘Compre Vacina, não compre Cloroquina’

Nesta terça-feira (25) o presidente da CPI da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD) falou aos membros da CPI, em especial ao líder do governo Bolsonaro no senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), que o presidente Jair Messias Bolsonaro, postou um projeto que o senador havia dado entrada e que já havia pedido para retirar.

Anúncios

Segundo Omar, muitos profissionais da Saúde, o informaram que o projeto em questão, poderia trazer problemas a classe médica.

“Pedi para retirar assim que cheguei, hoje, no meu gabinete, porque muitos profissionais da saúde, amigos meus, pediram para eu analisar bem o projeto, porque poderia prejudicá-los. E eu, faço autocrítica, naquilo que eu acho que estou errado. E retirei, a pedido de vários médicos, profissionais de saúde, para que futuramente a gente possa ou não debater este assunto”, disse Omar que afirmou que ele não faz cavalo de batalha em absolutamente em nada, daquilo que ouvi de profissionais da área que o orienta a fazer de forma contrária.

Omar ainda acrescentou e mandou um recado ao presidente Bolsonaro:

“Presidente, não perca o seu tempo ou quem quer que seja nas suas redes sociais, de postar este projeto, porque já foi retirado, bem antes do senhor postar. Perca o seu tempo, ligando para lideranças políticas internacionais para comprar vacinas. Perca o seu tempo em salvar vidas. Coloque no seu twitter algo como: faça o isolamento social, se cuidem, esta doença mata. E não descer tanto para vir criticar um simples projeto que já retirado”, falou Aziz que completou.

“Eu como ser humano, como cidadão e como político. Aquilo que eu erro e me equivoco, faço autocritica. E espero que ainda dê tempo para vossa excelência, fazer autocritica em relação a vacina. Compre vacina, não compre cloroquina presidente”, finalizou Omar Aziz.

Na postagem para provocar Omar Aziz, Bolsonaro postou no Twitter um projeto de lei do parlamentar – já foi excluído dos sistemas do Senado – que tentava criminalizar a prescrição de medicamentos off label.

Na postagem, Bolsonaro disse: “Médicos podem ser punidos com até 3 anos de detenção caso receitem qualquer remédio sem comprovação científica para aquela doença.”

 

Deixe um comentário