You are currently viewing Parlamentares cobram agilidade de agência reguladora para que o Amazonas não sofra com outro apagão de internet

Parlamentares cobram agilidade de agência reguladora para que o Amazonas não sofra com outro apagão de internet

Parlamentares cobram agilidade de agência reguladora para que o Amazonas não sofra com outro apagão de internet

Não é de hoje que o Amazonas sofre com a precariedade dos serviços de concessionárias de energia, água e internet. Na última terça-feira (22), a capital e interior ficaram por mais de quatro horas sem serviços de internet e de ligações, o que acabou impactando nos atendimentos em órgãos públicos e dados da Covid-19. A situação ainda é caótica e o sistema continua apresentando instabilidade em algumas localidades.

Anúncios

As empresas de telefonia informaram que houve o rompimento de cabos na infraestrutura de longa distância compartilhada entre as operadoras que atendem a região de Manaus.

Nas redes sociais, parlamentares do Amazonas se manifestaram acerca do terceiro apagão de internet no Amazonas neste ano, e cobraram agilidade da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) na resolução do problema.

“Não podemos mais sofrer com apagões de internet no Amazonas! Atualmente, muitas pessoas tiram seu sustento exclusivamente com trabalhos feitos on-line e até mesmo jovens veem nos jogos virtuais uma oportunidade de levar renda para dentro de casa”, disse o vice-presidente da Câmara Federal, deputado Marcelo Ramos (PSD).

Ramos disse estar está tomando providências para que a situação não ocorra mais.

“Privar a população do acesso à internet e, consequentemente, do trabalho e direito à informação, é inaceitável. Já estou tomando as providências cabíveis que estão ao meu alcance para que esse tipo de situação não aconteça mais”, disse.

O deputado federal Sidney Leite (PSD) também ressaltou que a prestação do serviço tem piorado no Amazonas e que a Anatel não tem cumprido seu papel.

“A prestação do serviço tem piorado porque a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) não tem cumprido com o seu papel. Hoje o que vemos é que o órgão protege mais os interesses das empresas, do que nos consumidores”, afirmou Sidney, que salientou que continuará cobrando a Anatel para que atue de forma a mitigar esses problemas.

Descaso

Os senadores do Amazonas também comentaram a problemática do serviço de internet e classificaram com descaso, absurdo e problemas de serviços que infernizam a vida da população.

Senador Omar Aziz (PSD) lembrou que só no ano de 2022 já foram contabilizados três apagões internet no Amazonas e desta vez, o transtorno foi causado por uma fibra rompida.

“É um absurdo quando percebemos que essa é uma realidade constante no interior. Em algumas localidades, o sinal nem chega. Não aceitaremos esse descaso!”, escreveu o senador em sua rede social.

Para Eduardo Braga (MDB), a Anatel precisa tomar providências e cobrar melhorias urgentes das empresas prestadoras de serviço no Amazonas.

“Absurdo! É inadmissível que em pleno 2022, os consumidores manauaras fiquem por horas sem acesso à internet. São empresas paradas, motoristas de aplicativo, motoboys, comerciantes e outros profissionais sem poder trabalhar direito”, comentou Braga.

“Infelizmente é um problema recorrente que inferniza nossas vidas. As agências reguladoras do setor, tem que fiscalizar e cobrar das concessionárias a melhoria dos serviços vendidos”, salientou o senador Plínio Valério (PSDB) ao Direto ao Ponto.

Notificação

O Instituto de Defesa do Consumidor do Amazonas (Procon-AM) informou que a falta de internet prejudicou os próprios serviços do órgão, que foram interrompidos na última terça.

O órgão notificou apenas a empresa Claro/NET, que deve responder, em até dez dias, sobre a causa e a duração do apagão, o número de consumidores atingidos e de que forma será realizado o abatimento do valor correspondente nas próximas faturas. A comprovação de má prestação de serviço pode resultar em multa.

Por sua vez, a Claro informou que houve rompimento de cabos na infraestrutura de longa distância compartilhada entre as operadoras que atendem a região de Manaus.

Segundo a empresa, as equipes técnicas responsáveis estão atuando na recuperação e os serviços já começaram a ser restabelecidos.

O que diz a Anatel?

Segundo a Anatel, a Claro informou ter enfrentado uma interrupção das 11h48 às 15h30 desta terça-feira (22) devido a rompimento simultâneo e acidental de 3 de suas rotas de transmissão que atendem Manaus.

Os serviços de telefonia fixa, banda larga fixa e telefonia móvel foram afetados nos Estados do Amazonas (AM) e Amapá (AP) e degradados no estado de Roraima (RR).

Deixe um comentário