Parlamentares comentam postura de Bolsonaro sobre vacina CoronaVac

Parlamentares comentam postura de Bolsonaro sobre vacina CoronaVac

Parlamentares comentam postura de Bolsonaro sobre vacina CoronaVac

Ontem (21) o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que os processos de compra de qualquer vacina contra a covid-19 estão descartados.

Anúncios

“Toda e qualquer vacina está descartada. Tem que ter uma validade da Saúde e uma certificação por parte da Anvisa também”, disse o presidente que também ordenou o cancelamento do acordo feito pelo Ministério da Saúde com o governo de São Paulo para aquisição de 46 milhões de doses da CoronaVac, a vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan (SP).

O senador Plínio Valério (PSDB) comentou com o Direto ao Ponto, sobre a postura do presidente Bolsonaro e disse que tudo no Brasil vira guerra política, do qual, gera ainda mais desconfiança.

“É uma pena a politização da vacina quando o País ainda enfrenta o medo e tantas perdas. Eu entendo a cautela do presidente Jair Bolsonaro em alocar antecipadamente R$1.9 bilhão em uma vacina que ainda não teve sua eficácia comprovada. Há uma desconfiança enorme sobre a vacina chinesa e o presidente está tomando os cuidados necessários antes da comprovação de sua eficácia. O problema é que tudo no Brasil vira guerra política, o que que gera ainda mais desconfiança”, disse.

Bolsonaro, também já havia afirmado que mandou cancelar o protocolo de intenções que foi assinado no dia 19 de outubro e anunciado dia (20) em reunião realizada entre governadores e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

“Já mandei cancelar, o presidente sou eu, não abro mão da minha autoridade (…) Até porque estaria comprando uma vacina que ninguém está interessado nela, a não ser nós”, afirmou Bolsonaro.

Em suas redes sociais o deputado federal Marcelo Ramos (PL) criticou a atitude do presidente.

“Bolsonaro não lidera! É liderado por uma rede de tolos que diante da morte de milhares de brasileiros grita nas redes sociais contra uma vacina que pode proteger a vida. É o populismo sanitário”, afirmou o parlamentar.

Deixe um comentário