Plínio defende a retomada imediata do debate da Reforma Tributária e Reestruturação do Fundo Amazônia 

Plínio defende a retomada imediata do debate da Reforma Tributária e Reestruturação do Fundo Amazônia 

Plínio defende a retomada imediata do debate da Reforma Tributária e Reestruturação do Fundo Amazônia

O senador Plínio Valério (PSDB-AM), defendeu ontem (10) a retomada do encaminhamento dos dois projetos de Reforma Tributária já em tramitação na Câmara e Senado, mesmo com as limitações legislativas impostas pela pandemia do Covid-19.

Anúncios

Plínio ressaltou que apesar de todos estarem ainda sofrendo com o avanço da doença, já é hora de começar a agilizar esse debate do que considera a “mãe de todas as reformas”, para destravar a Economia do País e alterar pontos cruciais, como a desoneração de impostos que incidem sobre o consumo principalmente de alimentos, penalizando excessivamente os mais pobres que gastam mais da metade de seus vencimentos para colocar comida na mesa.

“Minha maior preocupação é em desonerar a carga tributária que incide sobre o consumo e alimentação . O pobre que ganha pouco gasta mais da metade do seu salário com comida. Isso não está certo e não é justo. Na reforma tributária não podemos desperdiçar a chance de mudar isso para ajudar o brasileiro lá na ponta. Considero a Reforma Tributária a mãe de todas as reformas, primordial para destravar a economia do País. Então vamos nos dedicar a isso mesmo na pandemia”, defendeu Plínio Valério.

Novo Modelo para Zona Franca

Ontem (10) pela manhã Plínio participou de videoconferência com o novo superintendente da Suframa, Algacir Polsin, junto com o governador Wilson Lima e deputados e senadores da bancada federal, para discutir um novo modelo para devolver o protagonismo da Zona Franca de Manaus (ZFM) no pós pandemia.

“Estamos estreitando um relacionamento que não havia da bancada e governos estadual e federal para tentar traçar um plano para a Zona Franca pós pandemia. Tenho esperança de que vai sair alguma coisa boa disso”, avaliou Plínio Valério.

Reestruturação do Fundo Amazônia

Após a rodada de reuniões do vice presidente Hamilton Mourão com representantes de fundos de investimentos estrangeiros para debater o controle do desmatamento e incêndios na região, o senador Plínio Valério defendeu que os governos da Noruega e Alemanha, principais doadores , aceitem debater a necessidade de reestruturação do Fundo Amazônia para que sejam incluídos projetos que atendam a população local, não só a preservação da floresta.

Plínio disse ver demonstrações de grandes empresas nacionais e estrangeiras de ajudar a Amazônia, mas condicionando ao policiamento do desmatamento e queimadas. Ele disse que é o momento oportuno para se discutir também mudanças na destinação do bilionário Fundo Amazônia. Recentemente Plínio viu rejeitada sua demanda pelo uso de recursos do Fundo para a construção de um hospital de campanha no Alto Rio Negro, onde há a maior concentração de povos indígenas atingidos pela pandemia do Covid-19. A dificuldade de deslocamento para socorro dos doentes é o maior problema.

“Acho que vale a pena a gente entrar num entendimento com os governos da Noruega e Alemanha para mostrar a necessidade de usar o dinheiro que eles “doam” para o Fundo Amazônia, mas que não pode ser utilizado em benefício do homem, do ser humano que habita a floresta. Não adianta. Se não der dignidade ao ser humano, não tem floresta preservada”, sugeriu Plínio Valério.

O senador amazonense disse ser preciso informar aos cidadãos alemães e noruegueses que seus governos doam dinheiro para o Fundo Amazônia, mas se recusam a ajudar o ser humano.
“A gente vai entrar nesse debate. O Fundo Amazônia tem que ser mais construtivo e proveitoso para todos nós”, finalizou Plínio.

Deixe um comentário