Você está visualizando atualmente Plínio Valério: ‘Os índios que o Leonardo DiCaprio, Caetano Veloso e Chico Buarque defendem não são esses aqui do Amazonas não’

Plínio Valério: ‘Os índios que o Leonardo DiCaprio, Caetano Veloso e Chico Buarque defendem não são esses aqui do Amazonas não’

Plínio Valério: ‘Os índios que o Leonardo DiCaprio, Caetano Veloso e Chico Buarque defendem não são esses aqui do Amazonas não’

O senador Plínio Valério (PSDB), esteve em uma comunidade indígena na última terça-feira onde fez um vídeo denunciando a falta de investimentos das ONGs nas comunidades indígenas do Estado.

No twitter, Plínio questiona onde está a verba do Fundo Amazônia que tanto falam ser distribuída aos indígenas e ribeirinhos.

“Quando falam nos índios, os defensores dos índios. Aquele tanto de dinheiro do Fundo Amazônia que não chega aqui na ponta. É disso que eu falo. Porque se chegasse na ponta, a comunidade aqui teria direito a tudo que nós temos. Direito à energia, direito à água. Mas a realidade é outra, por isso eu combato tanto a ajuda estrangeira que não funciona”, disse Plínio enquanto filmava índios da comunidade os Mura.

No ano passado Plínio propôs a criação da CPI das ONGs, que será composta, segundo o senador, no mês de fevereiro para que comecem as investigações nas Organizações Não Governamentais que não realizam o trabalho do repasse de verba aos ribeirinhos e povos indígenas que necessitam.

Plínio ainda fez questão de lembrar aos famosos que defende e repassam dinheiro às ONGs, “os índios que Leonardo Dicaprio defende, Caetano Veloso, Chico Buarque defendem não são esses aqui do Amazonas não. Se fossem eles, aquela ajuda de dinheiro chegava aqui na ponta com políticas públicas, com o conforto que eles têm e não abrem mão”, questionou o senador.

O senador finalizou fazendo um convite aos que ele chama de “ambientalistas midiáticos” para virem conhecer a realidade da vida dos indígenas de verdade, que vivem debaixo da floresta. Segundo Plínio, eles “arrecadam milhões em seu nome e impedem que explorem suas riquezas para progredir”, e afirmou que os milhões arrecadados nunca chegam nas comunidades “miseráveis”.

Deixe um comentário