You are currently viewing Políticos amazonenses lamentam morte de Saul Benchimol, fundador da Bemol

Políticos amazonenses lamentam morte de Saul Benchimol, fundador da Bemol

Políticos amazonenses lamentam morte de Saul Benchimol, fundador da Bemol

Anúncios

Diversos políticos amazonenses usaram lamentaram a morte do advogado e empresário Saul Benchimol, aos 88 anos, ocorrida nesse domingo (13). Entre os que deixaram uma palavra de consolo à família e homenagem ao fundador do grupo Bemol e Fogás, está o governador Wilson Lima (PSC) e o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante).

“O Governo do Amazonas lamenta, com profundo pesar, o falecimento do professor e empresário amazonense Saul Benchimol. Nascido em Manaus, em 1934, Saul Benchimol teve importante participação na história do Amazonas, com seu brilhantismo e dedicação à Educação e Cultura. Intelectual e autor de centenas de livros, foi um dos fundadores e primeiro presidente do Clube da Madrugada, importante associação literária e artística brasileira e era membro da Academia Amazonense de Letras desde 2001. Neste momento de luto, o Governo do Amazonas se solidariza à família Benchimol e amigos do estimado professor Saul”, disse o governo do Estado por meio de nota.

David destacou que Saul Benchimol foi um visionário.

“Minha solidariedade à família e a todos os amigos neste momento de dor. Saul Benchimol foi um grande empreendedor, um visionário na Amazônia, tendo contribuído muito para o desenvolvimento econômico e social da região. Além disso, teve sua história marcada por amor ao magistério, formando várias gerações e também deixou como legado uma vasta produção intelectual”, disse o prefeito.

O ex-governador Amazonino Mendes (Sem partido) disse ter ficado muito triste com a partida de um amigo.

“Aqui no Amazonas Saul ajudou a fundar as lojas Bemol e Fogás. Agora à noite fui informado de sua partida, o que me deixou muito triste. Um homem incrível que deixa seu grande legado. Que Deus conforte todos da família e amigos que ele soube tão bem cativar”, escreveu Amazonino, em um último registro ao lado de Saul Benchimol.

O deputado estadual Serafim Côrrea (PSB), amigo pessoal de Saul e ex-aluno do advogado, que lecionou na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) por 36 anos, disse que perdeu um conselheiro de vida.

“Muito triste com mais esta perda. Ele foi meu professor nos anos 60, no tornamos amigos e ele foi meu conselheiro por toda a vida. Tive dele ainda na faculdade um gesto de amizade, solidariedade e coragem que jamais será esquecido. E desde lá em vários outros momentos ficou ao meu lado, mesmo quando discordava da minha atitude, mas vinha em meu socorro sugerindo saídas. Agora, não apenas eu perco. Perde a sua família, os seus amigos, que eram muitos, a academia, o mundo empresarial e o Amazonas como um todo. Saudades meu amigo, mestre e conselheiro Saul Benchimol”, lamentou Serafim, que foi responsável pela homenagem com a mais alta comenda da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), a Medalha Ruy Araújo.

O senador Eduardo Braga (MDB), outro político amazonense que também prestou sua homenagem ao empresário, afirmou que Saul parte, mas deixa seu legado e seguirá orgulhando a todos.

“Meus sentimentos a toda família e amigos de Saul Benchimol, ilustre empresário e professor do nosso Amazonas. O fundador das empresas Bemol e Fogás nos deixou neste domingo, aos 87 anos. Seu legado seguirá orgulhando a todos nós”, afirmou Braga.

Outro político que também manifestou pesar foi o presidente da Aleam, Roberto Cidade (PV), que lembrou dá homenagem prestada ano passado ao empresário na Casa.

“Em uma homenagem a ele na Assembleia, no ano passado, tive a oportunidade de agradecer-lhe pessoalmente, por toda a contribuição que ele e suo família deram para o nosso Estado. Aos familiares e amigos, minha solidariedade e minhas condolências por essa perda irreparável”, disse Cidade.

História

O empresário é o sétimo filho de oito, e junto de seus irmãos, Samuel e Israel, fundaram as empresas Bemol e Fogás. O professor nasceu no dia 14 de agosto de 1934, foi profissional da Universidade do Amazonas (UA), onde atuou por 36 anos.

Além disso, é membro da Academia Amazonense de Letras desde 2001, ocupando a cadeira de número 11, tendo em seu currículo 109 publicações, com destaque para seu último lançamento: “A saga de um judeu na Amazônia”.

Saul teve sua família vindo para Amazônia devido à perseguição da inquisição na época, promovida pela Igreja Católica, quando reinavam os reis católicos Isabel e Fernando, que promoveram a expulsão de todos os judeus inicialmente da Espanha e posteriormente de Portugal.

Deixe um comentário