Você está visualizando atualmente Prefeitura apresenta parque Rosa Almeida, com projeto de Niemeyer, para Instituto Soka Amazônia

Prefeitura apresenta parque Rosa Almeida, com projeto de Niemeyer, para Instituto Soka Amazônia

Prefeitura apresenta parque Rosa Almeida, com projeto de Niemeyer, para Instituto Soka Amazônia

Para conciliar a urbanização e o meio ambiente, soluções tecnológicas, ambientais e modernas, aceleradas pela globalização, fazem parte da rotina da gestão da Prefeitura de Manaus na produção de projetos de combinação entre a posição humana e a natureza da Amazônia.

E um dos projetos arquitetônicos e de impacto da gestão do prefeito David Almeida foi apresentado ao Instituto Soka – Pesquisas e Estudos Ambientais da Amazônia (Instituto Soka Amazônia), uma organização sem fins lucrativos de caráter ambiental, afiliada à organização global Soka Gakkai.

Em encontro na sede do Soka, na reserva particular de patrimônio natural em frente ao Encontro das Águas, o diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), engenheiro Carlos Valente, falou do futuro parque Rosa Almeida, que fica localizado na avenida Desembargador Anísio Jobim, 20, Colônia Antônio Aleixo, zona Leste. O encontro contou com a presença do diretor-presidente do Soka Amazônia, Luciano Gonçalves do Nascimento, e do vice, Milton Massayuki Miyahara Fujiyoshi.

No platô mais elevado e com a melhor vista para o encontro dos rios Negro e Solimões, a prefeitura está com o projeto arquitetônico pronto para ser licitado, envolvendo uma área de urbanização de 17,5 mil metros quadrados, tendo um parque urbano, que se conecta com o museu e o restaurante projetados pelo arquiteto Oscar Niemeyer (morto em 2012), um dos únicos projetos do renomado brasileiro para a região Norte.

“Fizemos a apresentação oficial do projeto do parque Rosa Almeida, uma vez que estamos em espaços limítrofes com a vista do encontro. E buscamos uma integração das ações, uma vez que a entidade Soka Amazônia tem toda uma tratativa de preservação ambiental, de exposição, de educação ambiental, ou seja, um trabalho que se soma ao que estamos propondo com a obra e a intervenção”, explicou Valente.

O parque tem foco no desenvolvimento da região, incluindo qualidade em área pública, turismo, emprego e renda, contemplação e sustentabilidade. “Buscamos estreitar as relações entre uma entidade que cuida da questão ambiental, tem uma responsabilidade neste campo, e a prefeitura. Mostramos como é que será o projeto, as edificações, as ocupações e eles também se colocaram à disposição para interagir nas ações e participar, estendendo provavelmente a criação de um corredor ambiental”, completou o diretor-presidente.

Beleza

Para preservar os habitats naturais ao longo da vista, o projeto cria novas oportunidades de lazer, contemplação e educação ambiental na paisagem natural com os rios, a vegetação deslumbrante verde e a altura do platô.

Tanto a proposta de Niemeyer, de 2005, quanto a do Implurb, de 2021, seguem os critérios para a proteção da dimensão cênica do Encontro das Águas, com áreas de livre circulação e contemplação, valorização do fenômeno e de proteção à paisagem e permeabilidade visual, em uma simbiose natureza e homem.

Parque

Para construir o parque Rosa Almeida e atualizar sua acessibilidade e importância em uma zona carente de espaços urbanos públicos de qualidade, a prefeitura fez o complemento na proposta e a obra terá restaurante, pavilhão multiuso, pista de caminhada, entre outros mobiliários e paisagismo.

O ambiente terá duas edificações, uma para acomodar a guarita/área administrativa próxima ao pórtico de entrada, e outra de múltiplo uso, possuindo dois quiosques e banheiros públicos, para dar conforto e atendimento aos frequentadores e turistas, contando ainda com academia ao ar livre, playground e playpet. Nessa implantação se optou em ter uma grande quantidade de áreas de jardins, com paisagismo focado em espécies nativas, desde grandes arbóreas até arbustos.

Deixe um comentário