“Programa Amazônia Conectada está parado por vaidade de dois generais da Defesa”, alerta Deputado Marcelo Ramos

“Programa Amazônia Conectada está parado por vaidade de dois generais da Defesa”, alerta Deputado Marcelo Ramos

O Programa Amazônia Conectado foi criado em 2015 com a meta ambiciosa de implantar uma das maiores redes de fibras ópticas subaquáticas do mundo e, assim, levar internet rápida e de baixo custo para populações ribeirinhas e moradores de locais isolados do interior da Amazônia.

Anúncios

A iniciativa, coordenada pelo Ministério da Defesa, previa a instalação de 7,8 mil km de cabos no fundo de rios amazônicos, que ligarão a capital, Manaus, a outros 52 municípios, beneficiando cerca de 4 milhões de pessoas. “No entanto, por uma disputa pequena entre dois generais do Ministério da Defesa, o Amazônia Conectada está paralisado”, alertou o deputado federal Marcelo Ramos (PR-AM).

Marcelo prossegue que, além disso, existe um erro técnico que considera grave do projeto, que é a decisão de ter lançado um cabo subaquático no rio Solimões, que tem o leito em formação e de grande vazão, o que torna difícil até mesmo localizar o cabo para fazer eventuais reparos.

“Precisamos discutir o programa Amazônia Conectada para garantir a chegada de internet a regiões mais remotas. Além desses benefícios imediatos, como o acesso à telefonia móvel e à internet, chegam ainda ao ensino a distância e a telessaúde”, disse, acrescentando que é preciso superar também alguns entraves e disputas administrativas, que já atrasam em pelo menos dois anos o programa.

Deixe um comentário