You are currently viewing Reunião do PSOL-AM acaba em tumulto e selvageria

Reunião do PSOL-AM acaba em tumulto e selvageria

Reunião do PSOL-AM acaba em tumulto e selvageria

Acabou em confusão a reunião do Partido Socialismo e Liberdade do Amazonas (PSOL-AM) realizada no último sábado (2) quando o partido decidiria sobre os rumos do legenda nas eleições majoritárias deste ano. O evento que ocorreu no Salão dos Espelhos do Rio Negro, terminou em tumulto, empurra-empurra, agressão, gritaria e uma cadeira foi arremessada.

Anúncios

A presidente do PSOL-AM, Rosilane Almeida, disse que vai encaminhar um relatório para a direção nacional do partido comunicando a confusão.

“O intuito é dizer que não foi possível a realização da reunião porque membros do Diretório Estadual não prezam pelo respeito aos filiados e não cumprem a decisão de debate amplo”, para escolha do pré-candidato.

Os pré-candidato as prévias do PSOL-AM ao governo do Amazonas, Marcelo Amil e Herbert Amazonas, emitiram nesta segunda-feira (4) uma nota conjunta, classificando a ação ocorrida na reunião como “ato de selvageria”.

Confira abaixo a nota:

Em relação aos lamentáveis acontecimentos ocorridos na reunião determinada pela direção nacional e sabotada por filiados que se acham donos do partido externamos nossa profunda repulsa ao ocorrido.

A reunião transcorria normalmente até que os apoiadores da pré-candidata Natália Demes descobriram que ela não é filiada ao PSOL Amazonas, sendo portanto inelegível no estado, e assumiram uma postura de agressividade que culminou em atos de selvageria. É inadmissível que no PSOL, um partido com história e tradição democrática, um grupo de treze filiados tente impor sua vontade sem ouvir ninguém da militância que constrói o partido.

São mentirosos aqueles que dizem defender a voz do povo na sociedade mas internamente tentam suprimir a voz dos filiados da base.

Nós, signatários desta nota, nos submetemos ao crivo da militância e da democracia interna através de prévias. Se qualquer um de nós for candidato, será sob o manto da democracia interna, pois é nisso que acreditamos, é isso que manda o estatuto do partido e é isso que o PSOL sempre defendeu historicamente.

Não aceitaremos que o PSOL seja patrimônio de meia dúzia de incompetentes que não sabem sequer quando alguém é filiado ao partido ou não. O PSOL é patrimônio da luta da classe trabalhadora.

Seguimos na pré-campanha, com cordialidade, democracia e respeito à militância do PSOL.

Manaus, 03 de julho de 2022

Deixe um comentário