Zé Ricardo cobra prioridade nos investimentos públicos para o envelhecimento com qualidade de vida

Zé Ricardo cobra prioridade nos investimentos públicos para o envelhecimento com qualidade de vida

Zé Ricardo cobra prioridade nos investimentos públicos para o envelhecimento com qualidade de vida

Hoje (1), comemora-se o Dia Internacional da Pessoa Idosa, criado pela Resolução 46/91, da Organização das Nações Unidas (ONU). No Brasil, a data marca o dia em que a Lei N°10.741, de outubro de 2003, criou o Estatuto do Idoso. Para o deputado federal Zé Ricardo (PT/AM), o atendimento aos idosos e idosas deve ser prioridade absoluta, como determina a legislação, porém, não é respeitada, principalmente, por parte do poder público. E criticou a redução de recursos no Orçamento da União na área da Assistência Social, que atende ações e projetos nessa área: em 2019, era de R$ 1,7 bilhão, mas em 2021 passou para apenas R$ 1,3 bilhão.

Anúncios

“O Brasil enfrenta situação de abandono de pessoas idosas. Falta de políticas públicas, necessidade de mais profissionais nessa área, de cuidadores. O processo de envelhecimento requer qualidade de vida, conforme proposta da ONU, mas isso demanda investimentos públicos municipais, estadual e federais, nas áreas da saúde, do esporte e lazer e até na geração de renda, para complementar as aposentadorias e pensões. Em vez de aumentar, estão reduzindo os recursos nessa área. E, com a Reforma da Previdência, na qual votei contra, reduziu-se o valor das aposentadorias e muitos idosos estão sofrendo essas consequências”, declarou Zé Ricardo.

A previsão é que em 2035 o Brasil tenha cerca de 60 milhões de pessoas acima dos 60 anos, exigindo estados e cidades mais preparadas e equipadas para atender às demandas dessa faixa etária. “Mas, depois de 18 anos do Estatuto do Idoso, ainda precisamos de muitos avanços”, disse ele, colocando como mais uma preocupação o Projeto de Lei no 5.383/2019, que propõe mudar a idade das pessoas idosas, passando de 60 para 65 anos, o que, na sua opinião, irá gerar muitas consequências, necessitando de um maior debate.

Em março deste ano, o deputado apresentou Projeto de Decreto Legislativo (PDL), juntamente com a bancada do Partido dos Trabalhadores (PT), para sustar o item do Decreto Presidencial nº 10.604, de 20 de janeiro de 2021, que retira de prioridade da Estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa (Ebapi) a população idosa inscrita no CadÚnico, atingindo, principalmente, aqueles em estado de vulnerabilidade social. “Essa decisão do presidente prejudica a população idosa do país, burocratiza o sistema e ataca os direitos dos idosos, que são nossa história e têm muito a contribuir com a melhoria da sociedade, com suas experiências e sabedorias. Vamos continuar na luta, em defesa dos seus direitos”.

Deixe um comentário