Artigo | Vamos falar de 2022?

Artigo | Vamos falar de 2022?

Artigo | Vamos falar de 2022?

Por Arthur Virgílio Neto

Anúncios

Viramos o ano, mas ainda não viramos a página. Vamos iniciar 2022 ainda sob o espectro da pandemia, do desemprego, da fome e dos ataques ao meio ambiente, e na perspectiva, nada agradável, de uma estagflação – recessão econômica + inflação alta – no Brasil, acentuando todos os sinais já emitidos em 2020 e 2021.

Com tudo isso na cabeça poderíamos receber 2022 com rancor e um certo fastio. Mas, o que separa os homens dos demais seres vivos do planeta terra é a sua capacidade de rever e prever. Aprender com suas próprias experiências e se renovar. O ano que se inicia é, realmente, de grandes mudanças. Começando pelas mudanças de governantes – ou não – com as eleições que se aproximam , mas algo de novo tem que haver, nem que seja a vontade do brasileiro de realmente mudar o seu destino e caminhar para esse lugar do futuro que se chama expectativa, a boa expectativa, esperar e ver o melhor sem perder o foco.

Temos, neste ano, que dar passos significativos para transformar o planeta em um lugar possível de viver, é preciso reduzir a pobreza e a fome, a falta de oportunidades, as iniquidades de gênero, raça, religião, sexo, idade, todas, enfim, fruto de uma estrutura social arcaica e cheia de preconceitos.

Umberto Eco, em um de seus últimos livros, “Pape Satàn Aleppe”, nos diz que o ‘conceito de comunidade entrou em crise e, com isso emergiu um individualismo desenfreado, onde ninguém é companheiro de viagem de ninguém, e sim seu antagonista’. Fazendo uma cognição entre a realidade e arte, “Não olhe para cima”, como tenta nos ensinar o filme recém-lançado por Hollywood, olhe para dentro de si mesmo, olhe em volta e veja o que você pode fazer por você, por quem está ao seu lado, pela sua rua, seu bairro, sua cidade, seu país. Pelo planeta. Os humanos precisam entender essa mensagem: não somos nada como indivíduos, somos tudo em comunidade.

E é em nome desse sentimento que faço o desejo para 2022: que encontremos a empatia, que possamos desenvolver essa reação tão purificadora que é a solidariedade. Bom ano para todos nós, com saúde e sabedoria!

 

Sobre o autor

É diretor do Núcleo de Educação Política e Renovação do Centro Preparatório Jurídico. Foi por 20 anos deputado federal e senador, líder por duas vezes do governo Fernando Henrique, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, líder das oposições no Senado por oito anos seguidos e três vezes prefeito da capital da Amazônia.

Os textos do colunista não expressam, necessariamente, a opinião do Direto ao Ponto.

Deixe um comentário