Você está visualizando atualmente A esquerda vai correr da avenida Paulista

A esquerda vai correr da avenida Paulista

A esquerda vai correr da avenida Paulista

A ordem é confrontar Jair Bolsonaro, mas longe da avenida Paulista. Os movimentos de esquerda que chamam manifestação para o dia (23), em resposta ao ato de 25 de fevereiro protagonizado por Bolsonaro não querem se expor a comparações sobre tamanho, informa a Folha de S.Paulo.

Para fazer frente ao ato do ex-presidente, a mobilização convocada pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo teria de reunir na avenida Paulista de 185 mil a 600 mil pessoas, a depender de quem está contando.

“Alternativas estudadas são o Largo da Batata, a praça da República ou Largo de São Francisco, onde foi lida uma carta em defesa da democracia em agosto de 2022”, diz o jornal.

Cálculos

Para tentar evitar constrangimentos, os movimentos e partidos de esquerda fazem uma série de cálculos, inclusive sobre o pretexto para os atos. Devem pedir a prisão de Bolsonaro? Ou apenas se manifestar de forma mais genérica, em defesa da democracia?

Outra estratégia é apontar Salvador como protagonista da mobilização. “Queremos mostrar a simbologia do Nordeste, da região como campo de resistência a esse novo tempo que estamos vivendo”, disse à Folha a secretária de Movimentos Populares do PT, Vera Lúcia Barbosa.

A ideia é contar com Lula, seus ministros, governadores e parlamentares de esquerda na capital baiana, mas o martelo ainda não foi batido.

Relutância

Raimundo Bonfim, coordenador da Central de Movimentos Populares, disse o seguinte à Folha: “Há um consenso dos movimentos sociais de que o presidente Lula deve comparecer ao ato na linha de defesa de democracia, assim como o Bolsonaro liderou um que dialoga com o golpismo”.

Os atos da esquerda contra Bolsonaro assumem o risco de serem bem menos expressivos do que o movimento de um ex-presidente encurralado por uma série de investigações, mesmo contanto com a presença de um presidente supostamente popular.

Por enquanto, a relutância dos organizadores não passa uma boa mensagem.

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário