Você está visualizando atualmente André Mendonça, o novo concorrente de Gilmar Mendes

André Mendonça, o novo concorrente de Gilmar Mendes

André Mendonça, o novo concorrente de Gilmar Mendes

Gilmar Mendes ganhou um concorrente à altura institucional no ramo de cursos jurídicos. André Mendonça, colega do decano do Supremo Tribunal Federal (STF), promove inscrições para o “Curso de aperfeiçoamento em advocacia – processo civil nos tribunais”, do Instituto Iter, do qual é fundador.

Segundo o site do instituto, esse curso, cujas aulas vão de 10 a 12 de julho, é “ideal para advogados públicos, especialmente aqueles atuando no âmbito municipal, bem como para advogados privados que buscam se capacitar e se atualizar nos temas jurídicos mais relevantes e impactantes”.

O Iter destaca as seguintes vantagens do curso:

  • Professores reconhecidos e altamente qualificados;
  • Enfoques teórico e prático;
  • Conteúdo Exclusivo;
  • Networking Valioso: conecte-se com outros profissionais da área, ampliando sua rede de contatos e oportunidades de carreira.

“Networking valioso

Por falar em “networking valioso”, a aula magna do curso será ministrada pelo próprio Mendonça. O CEO do instituto é Victor Godoy Veiga, ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro e auditor de carreira da Controladoria-Geral da União (CGU), como destaca sua biografia no site, que segue assim:

“Na CGU, dentre outras funções, foi Diretor de Auditoria da Área Social e Diretor de Acordos de Leniência. Formado em Engenharia de Redes de Comunicação de Dados pela UnB e pós-graduado em Altos Estudos em Defesa pela Escola Superior de Guerra e em Globalização, Justiça e Segurança Humana pela Escola Superior do Ministério Público da União. É Mestrando em Direito pelo Instituto Toledo de Ensino.”

Corpo docente

O Iter conta também com Josélio Azevedo, delegado da Polícia Federal (PF), secretário de Gestão e Ensino em Segurança Pública e diretor de Inteligência do Departamento Penitenciário Nacional. Ele comandou o grupo de elite da PF que investigou políticos no STF durante a Operação Lava Jato, destaca o portal Uol.

Também participam dos cursos David de Lima Freitas, subsecretário de Planejamento e Orçamento no Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), Márcia Aiko Tsunoda, chefe da Assessoria de Assuntos Estratégicos do Departamento Penitenciário Nacional e chefe do Núcleo de Gestão Estratégica da Diretoria Técnico-Científica da PF, e Rafael Schaefer Comparin, advogado da União desde 2013, entre outros.

Outros cursos

O site da instituição aponta ainda que foi realizado de 24 a 26 de junho o curso “Competências gerenciais para profissionais de segurança pública – gestão orçamentária, financeira e de meios”. E há outros previstos para as próximas semanas e meses, como “Aperfeiçoamento em Advocacia – Demandas em Saúde, Licitações, Improbidade e Recuperação de Ativos” e “Curso sobre a Nova Lei de Licitações e Contratos (Lei nº 14.133/2021)”.

O perfil no Instagram do Instituto Iter publicou um vídeo há três dias no qual Mendonça aparece dizendo que “o Instituto Iter nasceu oficialmente hoje”, destacando a inauguração da sede na região da avenida Paulista, em São Paulo. “É um privilégio falar de um sonho que se torna realidade”, diz o ministro do STF na gravação.

“Nós trabalharemos com os professores melhor qualificados e mais bem preparados para cada disciplina, com o objetivo de transformar, pelo conhecimento, o seu caminho, a sua jornada profissional”, diz Mendonça na gravação.

Quando vem o Mendonçapalooza?

Com seu novo instituto, Mendonça entra no ramo de cursos jurídicos protagonizado há décadas pelo colega Gilmar Mendes, sócio do IDP (Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa), criado em 1998 junto com Paulo Gonet, atual procurador-geral da República.

É por meio desse instituto que o decano do STF promove seu Fórum Jurídico de Lisboa, o famigerado Gilmarpalooza, que chegou à 12ª edição neste ano envolto por suspeitas de conflitos de interesses, com viagens de mais de 100 autoridades brasileiras para a capital portuguesa — o evento soou “bizarro” em Lisboa.

O recém-criado instituto de Mendonça ainda tem muito a caminhar para chegar ao nível do IDP de Gilmar, mas pode oferecer uma alternativa na linha de ensino e pesquisa, por assim dizer.

Recentemente, o ministro indicado por Bolsonaro para o STF chamou a atenção dos colegas de tribunal para o fato de eles estarem “passando por cima do legislador” ao deliberar sobre a descriminalização da maconha.

Talvez valha oferecer um curso específico sobre o assunto.

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário