Brasil vai ultrapassar EUA em nº de mortes por Covid depois de julho, diz pesquisador do IHME

Brasil vai ultrapassar EUA em nº de mortes por Covid depois de julho, diz pesquisador do IHME

Brasil vai ultrapassar EUA em nº de mortes por Covid depois de julho, diz pesquisador do IHME

O Brasil vai ultrapassar os Estados Unidos em número de mortes por Covid em algum momento depois de julho. A projeção é de Ali Mokdad, chefe de Estratégias em Saúde Populacional do Instituto de Métricas e Avaliação de Saúde (IHME) da Universidade de Washington.

Anúncios

Nesta terça (6), Mokdad chegou a uma conclusão diferente da que anunciou no mês passado, quando previa que as mortes no Brasil não ultrapassariam as dos EUA.

“O Brasil tem um surto agora no verão. E no verão geralmente não esperamos um surto”, disse Mokdad. “E o Brasil, é claro, está se aproximando do inverno, quando a sazonalidade do vírus será mais ameaçadora ao Brasil, e veremos um aumento de casos”.

Ao mesmo tempo, acrescentou, os Estados Unidos estão em um acelerado programa de vacinação, o que ajuda a reduzir o número de casos e mortes.

“Estamos vendo um declínio [no número de casos] agora nos Estados Unidos, e no Brasil esperamos também começar a ver um declínio, porque o surto chegou ao pico e vai começar a descer. A mortalidade vai demorar um pouco, mas os casos vão começar a cair no Brasil”, por causa do aumento do isolamento social, do uso de máscaras e das restrições decretadas por governadores e prefeitos, disse o pesquisador.

Pelas projeções de Mokdad, no fim de 2021, com a chegada do inverno nos EUA, o país deve novamente ultrapassar o Brasil no número de mortes, “infelizmente, para todos nós”. Os fatores-chave para isso acontecer serão a vacinação e novas variantes.

Proporcionalmente, disse Mokdad, há mais brasileiros do que americanos dispostos a tomar a vacina, como sabemos por pesquisas de opinião. Além disso, ‘variantes de escape’ podem reinfectar pessoas que já tiveram Covid e têm mais potencial de infectarem até mesmo as vacinadas.

Pelas projeções do IHME mais recentes, publicadas em seu site na quinta (1º), os EUA devem chegar a 609 mil mortes até 1º de julho, e o Brasil a 562 mil.

O IHME integra a Universidade de Washington, em Seattle. Suas projeções sobre o Brasil tendem a ser otimistas. Em 6 de março, previa que o Brasil chegaria a 300 mil mortes por volta do dia 30. O país atingiu essa marca oficialmente no dia 24, seis dias antes.

Em maio de 2020, como também mostramos, o IHME previa 88 mil mortes no Brasil até 4 de agosto. Em 4 de agosto, o país já acumulava 96 mil mortes.

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário