Deltan afirma que há 3 frentes de desmonte da Lava Jato e fala como conter retrocessos

Deltan afirma que há 3 frentes de desmonte da Lava Jato e fala como conter retrocessos

Deltan afirma que há 3 frentes de desmonte da Lava Jato e fala como conter retrocessos

Ex-coordenador da Operação Lava Jato no Paraná, o procurador Deltan Dallagnol afirma que a dissolução da força-tarefa de Curitiba, no início do mês, compõe um cenário maior de desmonte das ações de combate à corrupção no país. Em entrevista à Gazeta do Povo, Deltan afirmou que esse desmonte se concentra em três frentes: a perda de ferramentas de combate à corrupção, a possibilidade de anulação de sentenças e a ofensiva para punir investigadores da operação. Mas ele também disse que é possível para a sociedade conter os retrocessos por meio do apoio aos “homens públicos que lutam pela integridade nos três poderes”, elegendo políticos comprometidos com a agenda anticorrupção e participando da política de forma apartidária.

Na entrevista, Deltan comentou publicamente, pela primeira vez, sobre o recém-aberto inquérito do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que apura a suposta atuação da Lava Jato para intimidar ministros da Corte.

Anúncios

O ex-coordenador da Lava Jato falou ainda sobre as mensagens hackeadas da Lava Jato; abordou críticas do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes à operação; contou quais ameaças vê ao combate à corrupção vindas do STF e do Congresso; e comentou sobre os rumores de que pode concorrer nas eleições de 2022.

Entrevista completa com Deltan Dallagnol no Gazeta do Povo

Deixe um comentário