Deslizamento destrói casarão histórico em Ouro Preto, em Minas Gerais

Deslizamento destrói casarão histórico em Ouro Preto, em Minas Gerais

Deslizamento destrói casarão histórico em Ouro Preto, em Minas Gerais

Anúncios

A prefeitura do município de Ouro Preto, em Minas Gerais, informou que parte do Morro da Forca, no centro histórico da cidade, cedeu nesta quinta-feira (13).

O deslizamento atingiu ao menos dois casarões que ficavam na beira do morro. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, não há vítimas.

Segundo a prefeitura, a área já estava isolada e sendo monitorada por ser “um local de grande atenção em períodos de chuva”.

“O casarão que foi atingido estava interditado desde 2012”, também informou a prefeitura de Ouro Preto.

Em entrevista à CNN, o prefeito de Ouro Preto, Ângelo Oswaldo (PV), explicou que o acidente aconteceu na encosta sul do Morro da Forca. “Atingiu duas casas que estavam fechadas há alguns anos porque essa área é de risco”, disse.

Ele explica que o maior casarão atingido pela terra havia sido construído em 1906, uma das primeiras construções arquitetônicas neocoloniais da cidade. A outra construção que desabou era mais recente e servia de armazém comercial.

O prefeito contou que a Defesa Civil municipal já havia interditado a área para pedestres, na quarta-feira (12), com receio de desmoronamento.

Ele destacou que a cidade possui uma preocupação histórica com a geologia local. “Nosso solo oferece muitos riscos porque temos possibilidade de deslizamentos em vários setores da cidade, que está dentro de um grande cânion. Um desfiladeiro formado por duas serras. Então nós temos sempre muito cuidado”, explicou.

“Ouro Preto tem uma carta geológica feita por técnicos que mostra todos os pontos de risco da cidade. Isso é monitorado pela nossa Defesa Civil”, complementou.

De acordo com o prefeito, o deslizamento ainda provoca transtornos aos moradores porque o centro da cidade está sem energia elétrica, e a circulação de veículos também foi afetada.

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) informou, em nota, que a previsão é que a situação seja normalizada ao longo da tarde. Apenas o trecho onde a rede foi destruída permanecerá desligado para os reparos definitivos.

O prefeito Ângelo lamentou a perda dos casarões históricos, mas se disse aliviado por não haver vítimas.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, tenente e porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, os bombeiros estão fazendo trabalho de vistoria em residências da região para verificar necessidade de retirada dos moradores.

“Mesmo sem a chuva, podem acontecer novos movimentos de massa. O risco geológico continua muito alto por conta dos últimos dias”, declarou.

O Morro da Forca está localizado em uma região turística, com frequente circulação de pessoas, próximo ao centro de Ouro Preto, da estação ferroviária e da praça Tiradentes. “É um grande ponto de convergência e irradiação do trânsito no centro de Ouro Preto”, contou o prefeito Angelo Oswaldo.

Com a intensidade das chuvas nos últimos dias em Minas Gerais, a preocupação com o local se intensificou. Pelo menos 24 pessoas já morreram e quase 4 mil ficaram desabrigadas no estado por conta das tempestades.

“Estamos com alguns outros pontos de deslizamento também. Com todo cuidado necessário, felizmente o acervo monumental da cidade e nosso patrimônio humano não foi atingido”, declarou o prefeito.

A previsão do tempo, para esta quinta-feira (13) em Ouro Preto, é de chuva para o período da tarde.

Deixe um comentário