Você está visualizando atualmente Governo Lula está metendo a mão, querendo taxar tudo, diz Ometto

Governo Lula está metendo a mão, querendo taxar tudo, diz Ometto

Governo Lula está metendo a mão, querendo taxar tudo, diz Ometto

Rubens Ometto, sócio-fundador e presidente do conselho de administração da Cosan, criticou as medidas tributárias do governo Lula e disse que a gestão petista tenta aumentar a arrecadação “mordendo pelas bordas”.

“Do jeito que está, com o governo metendo a mão, querendo taxar tudo, e com os juros desse jeito, não dá”, disse o empresário no sábado (8), durante um painel organizado pelo Grupo Esfera, no Guarujá, litoral paulista.

“Para se aprovar a reforma tributária, fizeram uma série de exceções e depois o Poder Executivo, através da Receita Federal, da Procuradoria-Geral da União e da Fazenda, está mordendo pelas bordas. Eles estão mudando as normas. Vai mudando as regulamentações para arrecadar mais. Sai a lei de um jeito e depois eles soltam normas.”

Ometto citou, por exemplo, as mudanças de regra do Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais). A proposta é uma das principais medidas do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para elevar a arrecadação.

“Isso aconteceu com a mudança da regra do Carf, com a regra do aproveitamento do ágio nas aquisições, com a mudança do crédito presumido no IPI, com a mudança do crédito no uso dos créditos do PIS/Confins, que saiu nesta semana, e a desoneração da folha.”

Para o empresário, a consequência dessas medidas é o aumento no custo de fazer negócios no país e o incentivo à informalidade. 

“Quando faz isso, desrespeita a lei e cria um péssimo exemplo. O exemplo tem que vir de cima e quando ele é ruim, contamina a organização toda. Como a gente vai melhorar o nosso país se a autoridade máxima faz tudo para não obedecer à lei?”, questionou. 

O presidente do conselho de administração da Cosan afirmou ainda que a maneira como o governo Lula tem aumentado a arrecadação “tira o dinheiro de quem trabalha com eficiência, gera emprego, produz passando para o Poder Executivo, que não tem essa agilidade”.

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário