Você está visualizando atualmente Governo Lula pretende gastar até R$ 304 milhões com G20 no Brasil

Governo Lula pretende gastar até R$ 304 milhões com G20 no Brasil

Governo Lula pretende gastar até R$ 304 milhões com G20 no Brasil

O governo Lula pretende gastar até 304 milhões de reais com a contratação de serviços de organização de eventos para a realização das reuniões do G20 no país.

Ao longo deste ano, serão realizados eventos preparatórios em 13 cidades-sede: Brasília (DF), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Foz de Iguaçu (PR), Maceió (AL), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Salvador (BA), São Luís (MA) e Teresina (PI).

Ao todo, o calendário de atividades para o G20 é composto por 120 eventos. O cronograma inclui 93 reuniões técnicas, 26 videoconferências, 10 encontros de vice-ministros e 23 reuniões ministeriais – os dados incluem os encontros realizados no final do ano passado.

Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro será palco de duas reuniões de cúpula: a social e a dos chefes de Estado e de Governo, que receberá os líderes dos países do G20 e dos países convidados.

Segundo o governo federal, os serviços de organização de eventos “serão executados sob demanda, nos estados das regiões indicadas em cada grupo, compreendendo o planejamento operacional, organização, execução, acompanhamento, fornecimento de serviços especializados, de equipamentos e materiais de apoio, de instalações e mobiliário, de alimentação e bebidas, de ornamentação, de papelaria e impressos, de locação de espaço e reserva de acomodações em hotéis”.

Somente com as reuniões de cúpula do G20, o governo federal pretende gastar 28,6 milhões de reais. Para essa megalicitação, o governo federal destinou 43 lotes divididos em sete grupos distintos. Foram previstas compras para 19 pastas específicas como Secom, Ministério do Turismo, Ministério da Saúde, entre outras. A licitação será realizada em 7 de fevereiro deste ano.

“Em linhas gerais, o G20 é o principal fórum de cooperação econômica internacional. O grupo tem atuação relevante no desenho e no fortalecimento global da arquitetura e governança sobre os principais temas de economia internacional”, justifica o governo federal sobre o gasto milionário para a organização do evento.

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário