Lira decide instalar gabinete da presidência em local destinado à imprensa na Câmara

Lira decide instalar gabinete da presidência em local destinado à imprensa na Câmara

Lira decide instalar gabinete da presidência em local destinado à imprensa na Câmara

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), eleito para o posto no último dia 1º, decidiu mudar o local destinado à imprensa na Casa para instalar no lugar o novo gabinete da presidência.

Anúncios

Com isso, os jornalistas atualmente alocados em um comitê com acesso direto ao plenário passarão a trabalhar em um espaço distante da área onde são realizadas as sessões da Câmara. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (8) pelo jornal “O Globo”.

Procurada, a assessoria de Arthur Lira enviou uma declaração na qual ele diz que a alteração de espaços dentro da Câmara “em nada vai interferir na circulação da imprensa”, que, segundo o deputado, continuará a ter “acesso livre” a todas as dependências da Casa.

“O objetivo da alteração é aproximar o presidente dos deputados, como eu falei em toda a minha campanha”, afirmou Lira na manifestação encaminhada pela assessoria.

Diretor-geral da Câmara, Sérgio Sampaio afirmou que essa mudança já era discutida pela gestão anterior da Mesa Diretora, por iniciativa da deputada Soraya Santos (PL-RJ) — primeira-secretária da Casa na ocasião – e que Lira decidiu dar prosseguimento.

De acordo com Sampaio, há o entendimento de que o presidente precisa estar mais próximo do plenário. O espaço para jornalistas, conforme o diretor, deve ser transferido para uma área próxima ao local onde hoje funciona a TV Câmara.

Segundo Sérgio Sampaio, ainda não há previsão de quanto custará a reforma nem de quando a mudança será efetivada. A intenção é iniciar o projeto ainda neste mês.

No cotidiano da cobertura jornalística das atividades parlamentares na Câmara, é comum repórteres abordarem o presidente da Casa no deslocamento entre o local onde hoje funciona o gabinete da presidência e o plenário.

Para ir até o plenário, o presidente da Câmara precisa atravessar o Salão Verde, onde, se quiser, pode dar entrevistas.

Com a mudança, Lira poderá ter acesso ao plenário diretamente do novo gabinete — ou seja, terá maior facilidade para evitar jornalistas, se assim o desejar.

Além disso, atualmente, alguns deputados costumam passar pelo comitê de imprensa para ingressar no plenário. No deslocamento, conversam com jornalistas.

Líder do PSOL na Câmara, a deputada Talíria Petrone (RJ) disse que a decisão de Lira dificulta um trabalho “fundamental para a democracia”, que é o da imprensa.

“A decisão do presidente Arthur Lira de mudar o local do comitê de imprensa, transformar aquele espaço na sala da presidência, é lamentável, porque dificulta a transparência das discussões travadas nesta Casa, dificulta que os jornalistas possam interpelar os deputados e o próprio presidente. E isso não contribui em nada para a democracia”, afirmou a parlamentar.

Tentativas de mudança

Esta não é a primeira vez que presidentes da Câmara tentam retirar os jornalistas do local, que, em 2019, foi batizado com o nome do jornalista Jorge Bastos Moreno, de “O Globo”, falecido em 2017.

Em 2015, o gabinete de Eduardo Cunha (MDB-RJ) tentou ocupar o local, enquanto Cunha era alvo de representação no Conselho de Ética da Câmara, mas o projeto não foi adiante.

Em 2007, Arlindo Chinaglia (PT-SP) também tentou levar a imprensa para outro espaço, mas não conseguiu.

Fonte: G1

Deixe um comentário