You are currently viewing Luiza Brunet vai recorrer ao STJ após perder ação contra Lírio Parisotto

Luiza Brunet vai recorrer ao STJ após perder ação contra Lírio Parisotto

Luiza Brunet vai recorrer ao STJ após perder ação contra Lírio Parisotto

Luiza Brunet, de 58 anos, pretende recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra a decisão do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), divulgada nesta sexta-feira (21), que entendeu que a ex-modelo não tem direito à metade do patrimônio do ex, o empresário Lírio Parisotto, de 66 anos, que foi o 2º suplente do senador Eduardo Braga (MDB) em seu primeiro mandato de 2010 a 2018.

Anúncios

“Pontos cruciais para o reconhecimento da união estável não foram levados em conta pelo Tribunal de Justiça. No momento oportuno será apresentado o recurso no Superior Tribunal de Justiça. Se perde a batalha, mas a luta continua. Posso dizer que eu e ele sabemos o que foi vivido entre 2011 e 2016″, escreveu Luiza em publica no Instagram.

A decisão foi comemorada pela defesa do empresário. Luiz Kignel, do PLKC Advogados, sustenta que o cliente e a modelo mantinham, apenas, um namoro. “A tese foi derrubada pelo Tribunal por 3 votos a zero, que entendeu, acertadamente, que o casal mantinha apenas uma relação de namoro”.

Luiza movia processo para comprovar união estável e ter direito à metade dos bens adquiridos por ele durante o período em que se relacionaram, de 2011 a 2016. Entretanto, esta é a segunda derrota da ex-modelo. Em maio de 2018, o mesmo tribunal considerou improcedente o pedido.

2016. Entretanto, esta é a segunda derrota da ex-modelo. Em maio de 2018, o mesmo tribunal considerou improcedente o pedido.

Violência doméstica

Na ocasião, de acordo com Luiza, o então marido a chutou e quebrou quatro de suas costelas, além de ter dado um soco no olho.

No ano seguinte, Lirio foi condenado a um ano de prestação de serviços à comunidade por conta das agressões.

À época, Lirio usou as redes sociais para se defender das acuções: “A suposta lesão em NY, foi considerada leve, ou seja, a menor possível, mas ainda assim não condiz com os fatos”.

Fonte: R7

Deixe um comentário