Você está visualizando atualmente Mais um desembargador vota contra cassação de Moro e placar fica em 3 a 1 a favor do senador

Mais um desembargador vota contra cassação de Moro e placar fica em 3 a 1 a favor do senador

Mais um desembargador vota contra cassação de Moro e placar fica em 3 a 1 a favor do senador

O desembargador eleitoral Guilherme Hernandes Denz votou contra a cassação de Sergio Moro em julgamento no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), nesta segunda-feira (8). É o terceiro dia de sessão para julgar o caso do senador paranaense na Corte. Denz acompanhou o entendimento do relator, desembargador Luciano Carrasco Falavinha Souza. Com isso, o placar é de 3 a 1 contra a cassação de Moro.

No início da tarde, a desembargadora Claudia Cristofani já havia se manifestado pela absolvição de Moro. O único a divergir até agora foi o desembargador José Rodrigo Sade.

Três juízes ainda precisam votar para que o julgamento seja concluído: Anderson Fogaça, Julio Jacob Junior e Sigurd Roberto Bengtsson, que é presidente do TRE-PR. Jacob Junior, porém, pediu vista do processo. Os juízes do TRE voltam a se reunir na tarde desta terça-feira (9) para julgar duas Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) que pedem a cassação do mandato de Sergio Moro como senador.

As ações foram movidas pela Federação Brasil da Esperança (PT, PCdoB e PV) e pelo PL, que afirmam que Moro cometeu abuso de poder econômico durante as eleições de 2022. O abuso teria ocorrido porque o ex-juiz da operação Lava Jato foi pré-candidato a presidente – e, nesse período, teria usufruído de recursos aos quais os demais candidatos a senador não tiveram acesso.

A defesa de Moro, por outro lado, afirma que não há limites bem definidos na legislação para os gastos no período de pré-campanha. Os advogados dizem, ainda, que não há provas do suposto abuso.

Deixe um comentário