Mandetta diz ‘Nem tivemos direito ao luto’ e desmente Bolsonaro

Mandetta diz ‘Nem tivemos direito ao luto’ e desmente Bolsonaro

Mandetta diz ‘Nem tivemos direito ao luto’ e desmente Bolsonaro

O ex-ministro Luiz Henrique Mandetta ao afirmar que editou uma série de portarias para padronizar o atendimento aos pacientes de Covid, inclusive protocolos de sepultamento das vítimas da doença, contou que a doença não deu o direito ao luto.

Anúncios

“A função do Ministério da saúde é colaborar, dar suporte técnico e fazer as portarias de acordo com o sistema de saúde dos municípios. Até sepultamento foi padronizado. Nem o luto essa doença nos dá o direito de tê-la”, disse.

O ex-ministro também negou durante a oitiva da CPI da Pandemia, que tenha instituído uma recomendação para que os pacientes do novo coronavírus procurassem atendimento médico apenas após sentirem “falta de ar”.

“Isso não é verdade. Nós estávamos em janeiro ou em fevereiro. O que havia naquele momento eram pessoas em sensação de insegurança, de pânico”, disse Mandetta.

“Em virose, a recomendação é que você observe a virose e depois procure atendimento. É mais uma guerra de narrativa”, complementou.

Para desacreditar o ex-ministro Mandetta, Bolsonaro tem alegado que o “protocolo” na gestão do ex-ministro era procurar atendimento médico apenas quando o paciente sentisse falta de ar.

Deixe um comentário