Mourão indicou Thompson Flores ao STF, mas Bolsonaro quis um ‘terrivelmente evangélico’

Mourão indicou Thompson Flores ao STF, mas Bolsonaro quis um ‘terrivelmente evangélico’

Mourão indicou Thompson Flores ao STF, mas Bolsonaro quis um ‘terrivelmente evangélico’

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, ao chegar há pouco ao Palácio do Planalto, confirmou a jornalistas que indicou o desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz , presidente do TRF-4 no auge da Lava Jato, para a vaga aberta no Supremo Tribunal Federal (STF) com a aposentadoria de Marco Aurélio Mello.

Anúncios

Há exatos três meses, Jair Bolsonaro indicou o “terrivelmente evangélico” André Mendonça, cuja sabatina ainda não foi marcada no Senado.

“Minha indicação o presidente não quer. (…) Já havia conversado com o presidente sobre o nome há muito tempo e o presidente também tem conhecimento do papel e da competência técnica e profissional do desembargador, mas ele tem outras variáveis que leva em consideração para essa decisão.”

Ainda assim, Mourão não concorda com a postura de Davi Alcolumbre, presidente da CCJ do Senado, que está empacando a indicação de Mendonça.

“Acho que não está correto isso aí. O senador Alcolumbre deveria cumprir a tarefa dele, de presidente da CCJ, botar o nome para ser votado e acabou. Se for aprovado, muito bem. Se não for, muito bem também. É o papel do Senado confirmar ou não a indicação do presidente da República. Uma coisa eu digo claramente: não está correto.”

O indicado de Mourão é neto de ministro do STF e trineto do fundador da Faculdade Livre de Direito de Porto Alegre.
Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário