‘Obrigação moral’, diz Chanceler venezuelano que rebate Bolsonaro sobre fala do oxigênio

‘Obrigação moral’, diz Chanceler venezuelano que rebate Bolsonaro sobre fala do oxigênio

‘Obrigação moral’, diz Chanceler venezuelano que rebate Bolsonaro sobre fala do oxigênio

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, usou suas redes sociais para rebater a fala do presidente Jair Bolsonaro de que o governo federal não tem a atribuição de levar oxigênio ao Amazonas, estado que, vive nas últimas semanas um colapso no sistema de saúde e onde muitas pessoas infectadas com o novo coronavírus morreram devido à falta de cilindros nos hospitais.

Anúncios

Arreaza demonstrou espanto com a fala do brasileiro e informou que o governo venezuelano continuará socorrendo hospitais no Amazonas: “É nossa obrigação moral e humana”, disse o chanceler por meio de sua conta no Twitter.

“Incrível…! Enquanto isso, por instruções expressas do Presidente @NicolasMaduro da Venezuela, continuaremos enviando oxigênio para os estados de Amazonas e Roraima. É nossa obrigação moral e humana.”

O presidente Jair Bolsonaro disse, neste sábado (30), que “não é competência” e “nem atribuição” do governo federal levar oxigênio para o Amazonas, que sofre com a falta do insumo para atender pacientes da Covid-19. Bolsonaro elogiou ainda a atuação do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, dizendo que “não há omissão” diante da crise.

A fala do presidente ocorreu durante uma saída do Palácio da Alvorada na manhã deste sábado (30), quando ele visitou uma loja de motos, próxima à feira dos Importados, em Brasília. O estabelecimento é o mesmo no qual ele comprou uma moto em 2019.

Deixe um comentário