Você está visualizando atualmente PF petista conclui que Adélio agiu sozinho

PF petista conclui que Adélio agiu sozinho

PF petista conclui que Adélio agiu sozinho

A Polícia Federal informou nesta terça-feira (11), ter se manifestado pelo arquivamento do inquérito sobre o atentado a faca promovido por Adélio Bispo contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), durante a campanha eleitoral de 2018.

Em nota, a PF afirmou ter concluído que “houve apenas um responsável pelo ataque, já condenado e preso”.

“Durante as diligências, foram cumpridos mandados de busca e apreensão para nova análise de equipamentos eletrônicos e documentos. Outros possíveis delitos foram descobertos, relacionados a um dos advogados de defesa do envolvido no ataque, mas sem qualquer ligação com os fatos investigados”, acrescentou.

O relatório final sobre o caso foi apresentado, atendendo a novas solicitações do Ministério Público Federal. A PF aguarda agora a manifestação do Juízo.

PF mira advogado de Adélio

A jornalistas, o diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Passos Rodrigues, confirmou que a corporação realiza uma operação nesta terça para investigar um dos advogados de Adélio Bispo, que teve comprovada relações com o crime organizado.

O advogado, no entanto, não tem relação com a tentativa de assassinato de Bolsonaro, segundo o diretor da PF indicado por Lula.

“O advogado é ligado ao crime organizado. Mas [não há] nenhuma vinculação desse advogado com a tentativa de assassinato do ex-presidente. Nós informamos ao Judiciário, sugerindo o arquivamento dessa parte do inquérito”, disse Andrei.

Advogado de Adélio é ligado ao PCC?

Em 2022, a PF passou a investigar uma possível relação entre o Primeiro Comando da Capital (PCC) e a defesa de Adélio Bispo.

A linha de investigação seguida à época indicava uma possível ligação da facção criminosa com o atentado a Bolsonaro, baseada em pagamentos feitos por criminosos a um dos advogados de Adélio, embora tenham sido realizados dois anos após a tentativa de assassinato.

A atual direção da PF considerou a tese inconsistente, observando fragilidades nos indícios citados.

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário