Rosa Weber aponta ‘grave suspeita’ na compra da Covaxin

Rosa Weber aponta ‘grave suspeita’ na compra da Covaxin

Rosa Weber aponta ‘grave suspeita’ na compra da Covaxin

Na decisão em que manteve a quebra de sigilos de um advogado da Precisa Medicamentos, Rosa Weber apontou “negociações pouco transparentes” e “grave suspeita” em relação à compra da Covaxin pelo governo federal.

Anúncios

Disse ainda que a vacina indiana ainda não é respaldada por “estudos científicos consistentes” e foi encomendada “em detrimento de imunizante de eficácia já comprovada e com custo substancialmente inferior”.

Na ação, a OAB afirmou que o advogado Tulio Belchior Mano da Silveira não poderia ter seus sigilos quebrados porque atuou apenas representando interesses da Precisa Medicamentos, que representa no Brasil a fabricante Bharat Biotech.

Rosa Weber disse que o sigilo assegurado na relação entre advogado e cliente não alcança eventuais atos ilícitos praticados pelo profissional.

Ela disse que, segundo as investigações, Tulio Silveira “teria concorrido diretamente para a celebração de contrato alegadamente danoso para a administração pública federal, a afetar, inclusive, o programa nacional de imunização contra a COVID-19”.

“O advogado não está autorizado a associar-se a seu cliente na deflagração de empresas ilícitas. Não serve, pois, o mandato a ele outorgado – que, na espécie, sequer foi comprovado –, como salvo-conduto para práticas ofensivas às leis penais”, afirmou a ministra.

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário