Você está visualizando atualmente “Se não tiver acordo, paciência”, diz Lula sobre Mercosul-UE

“Se não tiver acordo, paciência”, diz Lula sobre Mercosul-UE

“Se não tiver acordo, paciência”, diz Lula sobre Mercosul-UE

O presidente Lula (PT) voltou a comentar neste domingo, (3), a declaração do presidente francês, Emmanuel Macron, sobre ser contrário ao acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia. O petista admitiu que o tratado pode fracassar.

“Se não tiver acordo, paciência. Não foi por falta de vontade. A única coisa que tem que ficar claro é que não digam mais que é por conta do Brasil e que não digam mais que é por conta da América do Sul”, disse Lula em entrevista coletiva, em Dubai. 

“Assumam a responsabilidade de que os países ricos não querem fazer um acordo na perspectiva de fazer qualquer concessão. É sempre ganhar mais”, acrescentou.

Lula disse ainda que a França sempre foi contra o acordo e que, em caso de fracasso, “vai ficar patenteado de quem foi a culpa”.

“E nós não somos mais colonizados. Nós somos independentes. E nós queremos ser tratados com respeito de países independentes, que temos coisas para vender. E as coisas que nós temos para vender têm preço. O que nós queremos é um certo equilíbrio. Se não tem acordo, pelo menos vai ficar patenteado de quem é a culpa de não ter acordo.”

“E nós não somos mais colonizados. Nós somos independentes. E nós queremos ser tratados com respeito de países independentes, que temos coisas para vender. E as coisas que nós temos para vender têm preço. O que nós queremos é um certo equilíbrio. Se não tem acordo, pelo menos vai ficar patenteado de quem é a culpa de não ter acordo.”

Macron, como mostramos, afirmou no sábado ser contrário ao tratado. A declaração foi feita após encontro bilateral com Lula, em Dubai, onde os chefes de estado participaram da COP 28.

O presidente da França repete o discurso de sindicatos e produtores agrícolas de seu país, que se opõem fortemente ao acordo. Macron já havia descartado apoiar o acordo nas condições atuais, a menos que os países do Mercosul respeitem os acordos de Paris sobre o clima.

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário