TJ-MS aposenta desembargadora que beneficiou filho preso por tráfico

TJ-MS aposenta desembargadora que beneficiou filho preso por tráfico

TJ-MS aposenta desembargadora que beneficiou filho preso por tráfico

Anúncios

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul oficializou nessa quarta-feira, (27), a aposentadoria compulsória da desembargadora Tânia Garcia de Freitas Borges. A portaria foi publicada no Diário da Justiça atendendo a uma determinação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) que, em fevereiro, decidiu por maioria dos votos aposentar a magistrada.

Atualmente, Tânia ganha R$ 35.462,22, conforme o Portal da Transparência do TJMS. Com as deduções o rendimento líquido da desembargadora é de R$ 28.352,58.

Ex-presidente do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), Tânia foi afastada do cargo em 2018, após ser denunciada por uso do cargo para beneficiar o filho, Breno Borges, preso por tráfico em episódio que ganhou repercussão nacional.

Na ocasião em posse de decisão concedida pelo TJMS, Tânia foi pessoalmente ao presídio de segurança média de Três Lagoas liberar Breno da prisão para levar a uma clínica médica. Tudo foi feito com escolta pública, em situação irregular segundo entenderam os magistrados. A defesa afirma que Tânia tinha escolta autorizada e que todo o processo correu regularmente.

A desembargadora também é alvo de outro processo, cuja votação ainda precisa ser concluída pelo CNJ, por acusação de negociar sentença a favor do tenente-coronel Ademir da Silva Cristaldo, acusado de integrar “Máfia do Cigarro”, com quem a magistrada tinha relacionamento amoroso, conforme as apurações da Justiça.

Deixe um comentário