Você está visualizando atualmente Urgente: a pedido de Lula, governo desiste de taxar a Shein e empresas chinesas

Urgente: a pedido de Lula, governo desiste de taxar a Shein e empresas chinesas

Urgente: a pedido de Lula, governo desiste de taxar a Shein e empresas chinesas

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, anunciou há pouco que o governo deve manter a isenção tributária a compras de até US$ 50 de sites no exterior — principalmente as plataformas chinesas como Shein e Aliexpress. A declaração foi feita na portaria do Ministério, antes de Haddad partir para um encontro com Lula no Palácio do Planalto e representa um recuo do governo.

“A isenção não vai deixar de existir para pessoa física. Mas o presidente [Lula] nos pediu ontem para tentar resolver isso do ponto de vista administrativo”, disse. O objetivo deve ser aumentar a fiscalização para evitar maiores fraudes e contrabando, indicou o ministro à imprensa — citando que uma grande empresa estaria se valendo de uma brecha para burlar a lei e causar a concorrência desleal. “Vamos usar o poder de fiscalização da Receita Federal sem a necessidade de mudar a regra atual.”

Haddad citou que teve o apoio da Aliexpress e da Shopee na campanha pela tributação de compras. Na segunda plataforma, por exemplo, 85% das compras são realizadas entre vendedores e compradores em território nacional. “Apoiamos totalmente esta decisão”, escreveu o diretor global da empresa, Gang Ye, em carta a Haddad.

A cobrança em compras por pessoa física poderia gerar cerca de R$ 8 bilhões em receita tributária e era uma das esperanças do ministro para melhorar a arrecadação sem aumentar impostos. Pesou também a interferência de Janja, a primeira-dama, para tentar mudar a narrativa sobre a cobrança tributária.

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário