Urgente | Ricardo Salles é alvo da PF e tem sigilos quebrados pelo STF

Urgente | Ricardo Salles é alvo da PF e tem sigilos quebrados pelo STF

Urgente | Ricardo Salles é alvo da PF e tem sigilos quebrados pelo STF

Nesta quarta-feira (19) o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o presidente do Ibama, Eduardo Bim, são alvos da Polícia Federal (PF) na Operação Akuanduba que investiga exportação ilegal de madeira para Estados Unidos e Europa.

Anúncios

Ao todo, 160 policiais federais cumprem 35 mandados, inclusive nos apartamentos de Ricardo Salles em São Paulo e em Brasília, além do gabinete da pasta no Pará. Além de Ricardo Salles e Eduardo Fortunato Bim, são alvos da operação o assessor especial do ministro, Leopoldo Penteado Butkienwicz, o superintendente de infrações ambientais do Ibama, Wagner Matiota, e mais sete servidores — que também foram afastados dos cargos por determinação de Alexandre de Moraes.

O ministro Alexandre de Moraes autorizou também a quebras dos sigilos bancários e fiscais do ministro bolsonarista e de funcionários do Ibama.

A investigação apura crimes contra a administração pública (corrupção, advocacia administrativa, prevaricação e, especialmente, facilitação de contrabando) praticados por agentes públicos e empresários do ramo madeireiro.

Além das buscas e do afastamento preventivo dos 10 agentes públicos do Ibama e do MMA, o ministro do STF determinou a suspensão imediata da aplicação do Despacho n. 7036900/2020/GAB/IBAMA, que relaxou as regras de exportação de madeira ilegal.

As investigações foram iniciadas em janeiro deste ano a partir de informações obtidas junto a autoridades estrangeiras noticiando possível desvio de conduta de servidores públicos brasileiros no processo de exportação de madeira.

A PF informou que Akuanduba é uma divindade da mitologia dos índios Araras, que habitam o estado do Pará. “Segundo a lenda, se alguém cometesse algum excesso, contrariando as normas, a divindade fazia soar uma pequena flauta, restabelecendo a ordem.”

Confira a lista de todos os alvos:

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente

Eduardo Bim, presidente do Ibama

Leopoldo Penteado Butkiewicz, assessor especial de Salles

Olivaldi Azevedo Borges, secretário-adjunto da Secretaria de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente

Wagner Tadeu Matiota, superintendente de Apurações de Infrações Ambientais do Ibama

Olímpio Ferreira Magalhães, diretor de Proteção Ambiental do Ibama

João Pessoa Riograndense Moreira Júnior, diretor de Uso Sustentável da Biodiversidade e Florestas

Rafael Freire de Macedo, coordenador-geral de Monitoramento do Uso da Biodiversidade e Comércio Exterior

Leslie Nelson Jardim Tavares, coordenador de Operações de Fiscalização

André Heleno Azevedo Silveira, coordenador de Inteligência de Fiscalização

Artur Vallinoto Bastos, analista ambiental

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário