Vereador é preso suspeito de amarrar mulher em árvore e agredi-la

Vereador é preso suspeito de amarrar mulher em árvore e agredi-la

Vereador é preso suspeito de amarrar mulher em árvore e agredi-la

Anúncios

O vereador Adva Avelino da Silva, do PSD, foi preso em Serranópolis de Minas (MG), suspeito de amarrar a mulher em uma árvore para agredi-la. A vítima, de 37 anos, pediu uma medida protetiva contra o político, que está sendo investigado por tentativa de homicídio.

O caso foi registrado em 23 de setembro, e a prisão aconteceu ontem. Segundo a Polícia Civil, o parlamentar fugiu da casa onde as agressões aconteceram e só foi encontrado ontem, em uma casa afastada da cidade. No local foram encontrados R$ 10.850 em espécie, que seriam usados por ele para continuar a fuga, ainda de acordo com a corporação.

Em um vídeo feito pelo advogado da vítima, ela conta como foi a agressão. “Ele pegou a corda e me puxou, passou a corda aqui [diz ela apontando para uma árvore]. Eu falei: ‘Me solta, moço, solta, não me mata, não’. Aí eu consegui puxar a corda, se não tivesse conseguido, teria morrido”, relata a vítima.

O vereador Adva Avelino da Silva (PSD) foi preso ontem, (29) em Serranópolis de Minas (MG)

Ao UOL, o advogado da vítima afirma que o casal havia desfeito a união estável em 2019, mas acabou reatando depois. No entanto, o relacionamento continuou conturbado e ela chegou a conseguir uma medida protetiva contra o marido.

“Esse ano entrei com uma execução para que ele deixasse a casa e pagasse os alimentos atrasados. A decisão judicial saiu há poucos dias. Enviei para ela e ela informou o marido. Ele falou para ela: se eu tiver que sair da casa e pagar pensão mato você e seu advogado. Na quinta pela manhã ela me mandou uma mensagem pelo telefone da filha pedindo socorro”, contou o advogado Fabio Silva Nunes, que foi quem acionou a polícia no dia da agressão.

Mulher agredida por vereador mostra ferimento no pescoço após ser amarrada e arrastada (Foto/ Reprodução)

A Polícia Civil de Minas Gerais instaurou inquérito para apurar a tentativa de homicídio e declarou que pediu a prisão preventiva de Adva, que foi deferida pela Justiça da cidade vizinha, Porteirinha. Segundo o delegado André Brandão, o motivo da prisão foi o fato de Adva ter tentado matar a mulher “por motivos de ciúme”.

“Ele proibiu que ela de acessar a rede social Facebook e, tendo em vista que ela não obedeceu, ele amarrou a esposa, em uma espécie de enforcamento, pendurando ela em um pedaço de pau na árvore e a arrastou pelo terreno, deixando marcas no pescoço dela, nas costas, todas atestadas por exame pericial”, afirmou o delegado.

Segundo Cassio Medrado, assessor da Câmara Legislativa da cidade mineira, todos que conhecem o vereador “foram pegos de surpresa” pelas denúncias. “A gente está aguardando a Justiça se manifestar para que a gente possa se posicionar para qual trâmites iremos tomar a partir de agora”, afirmou. “Se for confirmado algum fato grave, ele pode perder o cargo”, concluiu Medrado.

Deixe um comentário